Aumento do consumo de bebidas alcoólicas na pandemia traz riscos de câncer

CORONAVÍRUS

Saúde

Aumento do consumo de bebidas alcoólicas na pandemia traz riscos de câncer

No Brasil, alguns setores confirmaram o aumento das vendas dos produtos do setor

Foto: Reprodução

O consumo de bebidas alcoólicas cresceu significativamente em alguns países durante a quarentena, fazendo com que a OMS (Organização Mundial da Saúde), alertasse para os problemas que o consumo inadequado dessas substâncias pode provocar à saúde da população e recomendando que os países limitem a venda dessas bebidas durante a pandemia. 

O médico oncologista, Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal), explica que o consumo de bebidas alcoólicas aumenta o risco de diferentes tipos de câncer como boca, faringe, esôfago, estômago, fígado, intestino (cólon e reto) e mama.

Na Rússia, as vendas de vodca dispararam 65% de fevereiro para março, no início do isolamento social. Já nos Estados Unidos, a alta foi de 55% no fim de março, no começo das restrições de circulação. No Brasil, alguns setores também confirmaram o aumento das vendas dos produtos do setor.

O oncologista do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein pontua que o álcool pode funcionar como solvente no intestino: “Isso vai facilitar a entrada de outras substâncias carcinogênicas nas células. Por isso, quanto maior a dose e o tempo de exposição, maiores as chances de desenvolver tumores cancerígenos”.

O professor da Unifesp ressalta que o consumo associado de álcool e cigarro potencializa os danos ao organismo e aumenta a possibilidade de diagnóstico de câncer. “Ter hábitos e alimentação saudáveis é a base da prevenção para a maioria dos tumores, principalmente com uma dieta rica em produtos in natura”, especifica o médico oncologista.