Saúde bucal na 3ª idade: entenda por que o clareamento dental nem sempre é recomendado

Saúde

Saúde bucal na 3ª idade: entenda por que o clareamento dental nem sempre é recomendado

Será que o clareamento dentário é para todos? Descubra em quais situações o procedimento é recomendado ou não para os idosos

Foto: Divulgação

As mudanças nos dentes são normais quando se chega na terceira idade. As alterações acontcem principalmente na cor, afinal, temos uma alimentação com pigmentos e com temperaturas elevadas ao longo de toda a vida, o que acaba ocasionando a alteração de cor ao longo dos anos.

Em algumas situações, o clareamento dentário pode resolver o problema, mas quando se trata dos idosos, que muitas vezes têm maior sensibilidade ou usam próteses dentárias, muitas pessoas podem ficar em dúvida sobre a possibilidade de realizar o procedimento. 

Segundo a cirurgiã dentista Luanna Coelho, todos podem clarear os dentes e não há limite de idade. Mas antes de procurar um especialista, é preciso atender alguns critérios. 

"Ter dentes em bom estado de saúde, sempre. Assim podemos indicar não somente para os idosos, mas para todos da vida adulta. Embora o clareamento não agrida o dente, a substância penetra por partes sensíveis e com vida, podendo desencadear uma hipersensibilidade que antes o indivíduo não tinha", explicou.

Ainda de acordo com Luanna, nos atuais consultórios há materiais disponíveis para evitar ao máximo o desconforto para o idoso que escolhe realizar o proedimento.

"Existem várias manobras para proteger a gengiva e evitar a sensibilidade exagerada ao ingerir alimentos ácidos e térmicos acentuados, sendo os principais as laserterapias, protetores de silicones, produtos que contém compostos que combatem a sensibilidade e sessões de fluorterapia", disse.

Veja abaixo algumas das situações em que o clareamento não é recomendado:

Quando há uso de próteses totais removíveis e fixas: As próteses não são clareáveis, pois não são um composto vivo e passível de interação química, se possui uma cor quando foi confeccionada, terá a mesma cor após uma tentativa de clareamento.

Fluorose dentária: São manchas brancas e opacas nos dentes. Em casos mais acentuados, podem sobressair ainda mais as manchas brancas, pois o esmalte do dente recebe totalmente o material que faz a ação do clareamento, não conseguimos separar o ácido clareador de esmalte sem as manchas e ele do esmalte com as manchas, resultando no clareamento total do dente, evidenciando ainda mais as regiões que já tinham a cor opaca ou branca dependendo do caso clínico, tendo resultados que o cliente não espera.

Trincas no esmalte: Rachadura que aparece no dente, podendo ter uma pequena extensão e profundidade, ou ser mais grave, atingindo o dente inteiro e também os seus tecidos internos, desencadeando desconfortos e até mesmo hipersensibilidades por facilitar a penetração do agente clareador em compartimentos internos do dente.

Bruxismo severo: O bruximo severo por si só sem o tratamento adequado, desencadeia sensibilidades e desgastes dentários, assim um dente que possui cicatrizes causadas pelo bruxismo, podendo fragilizar o estado de saúde dos mesmos, não está apto para receber o clareamento para não termos um aumento dos sintomas causados pelo bruxismo.