Acidentes domésticos representam 38% dos atendimentos médicos realizados no Brasil

Saúde

Acidentes domésticos representam 38% dos atendimentos médicos realizados no Brasil

Principais vítimas são crianças, com grave possibilidade de óbito.

Foto: Divulgação

De acordo com o Ministério da Saúde, os acidentes domésticos decorrentes de queda (de escadas desprotegidas, janelas sem redes de proteção e até de camas inapropriadas) representam o maior volume dos atendimentos médicos realizados em unidades de saúde em todo o País. Somam mais de 38% de casos.

As principais vítimas são crianças, com grave possibilidade de óbito. Em 2011, último dado disponibilizado pelo Ministério da Saúde, foram mais 3.739 casos atendidos que representaram a principal causa de morte de crianças entre 1 e 14 anos de idade.

Outro grupo de risco são os idosos. Estima-se que cerca de 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade caem pelo menos uma vez por ano. Depois dos 80 anos de idade, essa porcentagem pode chegar a 50%. Entre as consequências das quedas, a fratura no fêmur é uma das mais graves por se tratar do maior osso do corpo, com grandes chances de impactar na qualidade de vida dos idosos.

Dicas para evitar acidentes domésticos

- Evite adornos e tapetes na casa;

- Dê preferência por móveis de cantos arredondados e, se possível, evite móveis com vidro;

- Atenção aos ambientes com risco eminente de queda. Instale grades ou portões de proteção no topo e na base das escadas;

- Não deixe objetos espalhados ao longo das escadas;

- Mantenha corredores iluminados de dia e à noite;

- Opte pela instalação de piso antiderrapante;

- No caso específico dos idosos, considere a necessidade de barras de apoio no banheiro, camas devem ter altura ideal para a segurança. Atenção às boas condições de sapatos e chinelos.