• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homens inférteis também podem ter filhos. Saiba como!

Saúde

Homens inférteis também podem ter filhos. Saiba como!

Infertilidade masculina tem pouca associação com a evolução da idade.

Foto: Divulgação / Pexel
Entre as principais causas que propiciam a infertilidade nos homens estão a varicocele e as infecções.

No mês em que se comemora o dia dos pais, o urologista e especialista em reprodução humana da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), Eduardo Pimentel, esclarece as principais causas da infertilidade masculina e orienta sobre os principais tratamentos indicados para cada caso. Diferente das mulheres, que vão se tornando menos fértil com o avançar da idade, a infertilidade nos homens tem pouca associação com a evolução da idade.

Segundo Pimentel, a produção de espermatozoides é ininterrupta ao longo da vida dos homens e o processo persiste mesmo em idades avançadas. “Atualmente, sabe-se que os espermatozoides de um homem idoso são células mais frágeis do que as de um mais jovem; e com menor capacidade reprodutiva. Entretanto, esta diferença não significa um impacto tão grande na fertilidade como o observado com o avanço da idade das mulheres”, avalia.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), fatores masculinos representam 30% dos casos de infertilidade. Mas, conforme explica o especialista da SBRA, a boa notícia é que para cada diagnóstico existe um tratamento médico adequado.

Entre as principais causas que propiciam a infertilidade nos homens estão a varicocele e as infecções. Outras causas menos frequentes de produção inadequada de espermatozoides são problemas hormonais, alterações genéticas e sequelas de outros tratamentos. Pimentel adverte que um diagnóstico bem feito é primordial para a identificação do método mais indicado para superar essa dificuldade.

Dessa forma, de acordo com Pimentel, em muitos casos a infertilidade masculina pode ser revertida dando ao homem a esperança de ter filhos. Ele pontua ainda alguns perfis de homens inférteis e os tratamentos disponíveis para cada caso. São eles:

Homem diagnosticado com câncer

Próstata, testículo ou perda progressiva do funcionamento dos testículos, chamadas de atrofias testiculares. As cirurgias para remoção de tumores podem provocar lesões no aparelho reprodutor masculino e as sessões de radioterapia e quimioterapia podem comprometer a produção de espermatozoides.

O que fazer? Nesses casos, o mais indicado é o congelamento de espermatozoide antes de se iniciar o tratamento oncológico. A coleta do sêmen é feita por ejaculação. A qualidade deste material é analisada em microscópio e, em seguida, caso haja boa qualidade, é adicionado ao material um tipo de líquido chamado meio de preservação. 

A partir deste ponto o material é devidamente identificado como os dados do proprietário e é resfriado até atingir temperatura de –196° C. Os espermatozoides permanecerão congelados nesta temperatura em recipiente com nitrogênio líquido pelo tempo que for necessário. Nesta mesma linha, a criopreservação estaria indicada antes de certos tratamentos medicamentosos tóxicos aos testículos.

Homens com com Vaicocele (varizes na bolsa testicular)

É a causa mais comum de infertilidade nos homens, pois associa-se a alterações na produção e qualidade dos espermatozoides. O diagnóstico é dado principalmente pelo exame clínico, realizado preferencialmente por um urologista.

Como tratar? O tratamento é cirúrgico e é realizado na região da virilha. Dura aproximadamente 45 minutos em cada lado. Os resultados podem ser melhores quando a técnica de microcirurgia é realizada.

Homens com vasectomia
Na prática, o profissional realiza a re-conexão dos tubos (canais deferentes) que transportam os espermatozoides da região testicular até as vesículas seminais e próstata para que saiam no ejaculado. Quanto maior o tempo de vasectomia, maior a dificuldade de revertê-la com sucesso. É um fator a ser levado em consideração no prognóstico, mas a boa condição ginecológica da parceira também é fundamental para o alcançar o objetivo reprodutivo.

Segundo o especialista da SBRA, nos casos em que tratamentos cirúrgicos ou medicamentosos não são aplicáveis para tratar a fertilidade e tentar a concepção natural, a alternativa é recorrer às Terapias de Reprodução Assistida. Nestes casos intervenções urológicas de suporte como punção de epidídimo (PESA) ou extrações cirúrgicas de espermatozoides (TESE ou Micro-TESE) podem ser necessários.

Prevenção 

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) aconselha aos homens que mantenham bons hábitos de vida e realizem exames médicos de rotina, para preservar a fertilidade. Para avaliar uma possível infertilidade o primeiro exame a ser realizado é o espermograma, que fornece informações importantes como: a quantidade e a qualidade dos espermatozoides, indícios de infecção e outras anormalidades do sêmen.