• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ginecologista esclarece dúvidas sobre o uso da pílula anticoncepcional

  • COMPARTILHE
Saúde

Ginecologista esclarece dúvidas sobre o uso da pílula anticoncepcional

As pílulas são diversas em suas composições e indicadas para a necessidade de cada organismo no tratamento de acne, cólicas, ovário policístico e problemas hormonais

Na última terça-feira (04) a ginecologista Lorena Baldotto participou de uma live no Facebook do Folha Vitória, respondendo as principais dúvidas das mulheres a respeito do uso de pílulas anticoncepcionais e métodos contraceptivos. 

Ter dúvidas sobre o uso da pílula é comum entre as mulheres, principalmente ao tipo de hormônio que deve ser ingerido, uma vez que o uso do medicamento ocorre por diversos motivos, seja como método contrapcetivo, controle hormonal ou problemas do organismo da mulher como acne, cólicas e ovário policístico.

Você pode conferir a live, no vídeo abaixo 

De acordo com Lorena tudo é questão de adaptação e dosagem da medicação, por isso é importante que antes de tomar a pílula anticoncepcional a mulher procure um ginecologista para a realização dos exames laboratoriais e assim poder identificar sua real necessidade. 

Principais perguntas:

Internauta: É correto emendar cartela?
Resp. Lorena: Não aconselhamos que a cartela seja emendada por mais de três mesmo, até mesmo porque o escapes (sangramentos) ocorrem com frequência quando isso é feito. Mas, não h´á problema em emendar, tudo depende da quantidade de hormônio e de como o tratamento é feito. 

Internauta: É preciso trocar o anticoncepcional com que frequência?
Resp. Lorena: O anticoncepcional só deve ser trocado caso a mulher apresente algum sintoma de intolerância ao medicamento como escapes contínuos, enjoos, vômitos entre outros. 

Internauta: Tomo anticoncepcional por muitos anos, posso ficar infértil?
Resp. Lorena: A infertilidade da mulher depende de uma série de fatores, com o passar dos anos, o organismo vai perdendo a fertilidade por questões naturais, como o envelhecimento, mas o hormônio não torna a mulher infértil.