Saúde

Acidente doméstico é o principal responsável por cirurgias ortopédicas em idosos

As mudanças decorrentes do envelhecimento podem causar problemas na mobilidade de uma pessoa, se manifestando na forma de instabilidade ao caminhar, dificuldade de sentar e levantar ou quedas

Foto: Reprodução

As cirurgias ortopédicas em idosos, decorrentes de fraturas em acidentes domésticos, são mais frequentes do que se imagina. Isso porque esse tipo de acidente é muito comum em pessoas com a idade mais avançada.

De janeiro a agosto deste ano, por exemplo, a Santa Casa de Misericórdia Cachoeiro atendeu a 777 pacientes por queda. Deste número, 302 eram idosos.

Segundo o ortopedista Vinícius Barreto, os idosos são o grupo que mais demanda cirurgia ortopédica por causa desse tipo de queda. “O tipo mais comum de cirurgia, nesses casos, é por conta de fraturas do rádio distal, que é quando o paciente cai e quebra o punho, fraturas do fêmur também tem uma alta morbidade e normalmente necessitam de tratamento cirúrgico”, afirma.

Fraqueza muscular, problemas nas articulações, dor, doenças e dificuldades neurológicas – condições comuns em pessoas mais velhas – podem contribuir para problemas de mobilidade.

Diante dessa condição frequente para idosos, o médico orienta para evitar os acidentes e consequentemente as cirurgias desses casos. “É preciso evitar o uso de meias, evitar tapetes pela casa para não ocasionar escorregões, durante o banho sentar o idoso ou utilizar aquelas barras de apoio”.

O especialista cita ainda a importância do tratamento de osteoporose, fisioterapia para fortalecimento da musculatura, e fazer com que o idoso ande com mais tranquilidade. “O uso de bengalas, andadores e muletas também pode fazer com que diminua o número de quedas”, completa.

Pontos moeda