• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Dicas para adaptar as crianças ao horário de verão

  • COMPARTILHE
Saúde

Dicas para adaptar as crianças ao horário de verão

Preparar o corpo humano para despertar mais cedo, é essencial para não sentir desconforto com a mudança de horário

Foto: Pixabay
Queixas de cansaço e mau humor por dormir tarde e acordar cedo são comuns durante a época. 

Começou o horário de verão. E o ideal seria que todos estivessem se preparando para essa mudança há pelo menos duas semanas, o que dificilmente acontece. Nesse sentido, são comuns surgirem as queixas de cansaço e mau humor relacionadas ao horário de verão. Ao adiantar uma hora em nossa rotina diária abruptamente, forçamos o relógio hormonal a mudar o seu funcionamento também. 

Esse relógio também precisa de umas duas semanas para se reorganizar. O resultado disso é que, na maioria das vezes, queremos ir para cama no horário que estamos acostumados, mas temos que acordar uma hora antes para iniciar o dia.

Crianças

No caso das crianças, é preciso de um pouco mais de paciência, pois acordar mais cedo para ir à escola, comer uma hora antes do horário estipulado e outras mudanças na rotina das crianças podem afetar seu relógio biológico. Segundo a pedagoga Zil da Upuerê, a principal consequência é a alteração do sono. Com a irregularidade, a tendência é que a criança se sinta mais cansada durante o dia, irritada e menos atenta. O comum é que a adaptação dure até uma semana.

O corpo humano se prepara para acordar poucas horas antes do sol nascer, quando a temperatura começa a aumentar, e o hormônio cortisol (responsável por despertar você todas as manhãs) atinge seu pico no organismo. "Quando se é obrigado a acordar mais cedo, essas reações ficam fora de sintonia. As crianças mais novas não sofrem tanto como as mais velhas, que têm sua rotina já mais consolidada - vão ao colégio e participam de atividades com horários marcados" explicou a pedagoga.

Ainda de acordo com Zil, existem crianças com hábitos matutinos, que acordam e dormem cedo, e outras com modos vespertinos, que acordam e dormem mais tarde - as vespertinas costumam ter mais sensibilidade durante a transição para o horário de verão.

Para diminuir os efeitos da mudança, a pedagoga recomenda que a adaptação aos novos horários de dormir e de comer sejam graduais - é inútil impor a nova rotina de uma vez, já que o organismo da criança não vai aceitar.

Quando o assunto é o sono, ela alerta que o ritual para dormir deve começar muito antes do que o comum. Se a criança dorme normalmente em 30 minutos, ela vai demorar mais enquanto se acostuma com o novo horário. Banhos quentes e massagens ajudam o seu filho a relaxar. Músicas calmas também. “É importante evitar alimentos pesados e estimulantes antes da hora de dormir, além de não incitar atividades físicas neste período. Eles só agitam as crianças”, diz.

Dicas da Pedagoga

- Faça a adaptação aos poucos. Se seu filho sofre com essas mudanças, não deixe para acordá-lo em um horário mais cedo (em relação à hora normal) só na segunda-feira. Já comece no fim de semana.

- Fique atento com o horário de dormir. Se você acordá-lo cedo e deixar que ele durma no mesmo horário (que no relógio será uma hora mais tarde), ficará cansado e irritado. Comece o ritual de dormir mais cedo do que de costume, pois ele tende a demorar mais para pegar no sono (se o ritual demora 20 minutos, pode durar o dobro!).

- Crianças tendem a dormir um certo número de horas por noite. Se ele dormir mais cedo, tende naturalmente a acordar mais cedo no dia seguinte.

- Se seu filho ficar resistente a comer, apele para suas comidinhas favoritas (mãe tem seus truques!).

- O relógio biológico é regulado pela presença de luz. Perto da hora de dormir, feche as cortinas e deixe seu filho num ambiente mais à meia luz (mesmo que lá fora esteja claro). Com isso naturalmente o sono virá com mais facilidade.

- Se seu filho ainda é bem pequeno e dorme durante o dia, não caia na tentação de suprimir a soneca diurna, numa tentativa de que ele durma mais cedo ao fim do dia. Ele poderá ficar ainda mais estressado e com dificuldade de dormir à noite. Entretanto, reduzir o tempo da soneca da tarde em 20-30 minutos (por exemplo, se ele dorme 2 horas, acorde-o depois de 1 hora e meia, 1 hora e 40 minutos) por dia poderá fazer com que ele tenha sono mais cedo.

- No final de semana seguinte ao início do novo horário, mantenha a rotina. Do contrário, a adaptação que em geral acontece em até uma semana demorará ainda mais para ocorrer.