No Dia Nacional da Doação de Sangue, estoques do ES em baixa levantam alerta para a população

Saúde

No Dia Nacional da Doação de Sangue, estoques do ES em baixa levantam alerta para a população

Por conta da pandemia, o número de doadores diminuiu em 40%. Hemocentros da Grande Vitória tentam reverter essa situação e incentivam pessoas a doar

Foto: Estúdio Matri

Embora inúmeras estratégias sejam adotadas para alertar e incentivar a população sobre a importância da doação de sangue, o número de doadores continua não sendo o suficiente para manter os estoques em alta, e por conta da pandemia, houve uma redução ainda maior.

Os hemocentros na Grande Vitória atendem em média 3.5 mil doadores de sangue ao mês, de acordo com Marcela Gonçalves Murad, diretora-geral do Centro Estadual de Hemoterapia e Hematologia (HEMOES). Mas por conta da pandemia, esse número reduziu em 40%.

"Eu gostaria de sensibilizar as pessoas que esse ato de doação é um ato muito importante. A doação de sangue pode salvar até quatro vidas. Se tratando de saúde, não há substituto para o sangue. Hoje na indústria farmacêutica não há nenhum remédio que substitua um componente que é retirado do sangue", destaca Marcela.

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória

A diretora explicou ainda que a demanda de pessoas que precisam dessas doações é grande. Acidentes graves, cirurgias eletivas ou doenças que exigem transfusões, aumentam a necessidade de sangue nos hospitais. Por este motivo, os hemocentros estão sempre precisando de doadores.

"Aquelas pessoas que necessitam de sangue, sejam as que são portadoras de doenças crônicas que vão passar por alguma cirurgia de emergência ou até mesmo de cirurgias eletivas, precisam exclusivamente deste sangue e só vão conseguir com esse ato de amor e solidariedade ao próximo".

Nesta quarta-feira (25), é comemorado o Dia Nacional da Doação de Sangue. Um doador exerce a solidariedade e tem a consciência de que está ajudando a salvar vidas com esse ato. É uma escolha feita exclusivamente por quem quer ajudar o próximo.

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
Danielle Macedo

Danielle Macedo Ribeiro Araújo, de 17 anos, doou sangue pela primeira vez. O motivo foi para ajudar um familiar que irá passar por uma cirurgia, e no processo precisa repor as bolsas de sangue. De acordo com a estudante, a família se uniu e quatro parentes da adolescente fizeram a doação. Para ela, essa será a primeira de muitas doações. "Independente das pessoas para quem você vai doar, essa doação vai ter o destino de salvar a vida de alguém que está precisando." 

Danielle também aproveitou para deixar um recado para outros adolescentes que ainda não tiveram a experiência. "É bom não deixar isso para depois. Muita gente está precisando disso neste momento, então se for para doar, que seja agora," concluiu a adolescente.

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
Maria Gabrielle

Para Maria Gabrielle, 19 anos, que também doou pela primeira vez, os minutos tirados para fazer a doação é um período produtivo. "Esse período em que a gente tira para fazer a doação, nem imaginamos que pode ajudar diversas pessoas. A gente nem imagina que tirar uma tarde para doar vai impactar tanto na vida de uma pessoa." 

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
Márcio Nunes de Souza

Se para uns a doação é uma experiência nova, para outros esse ato se tornou algo comum. Márcio Nunes de Souza, 36 anos, é doador há 10 anos. A primeira doação foi aos 26 anos. Para ele, ajudar o próximo é uma lição de vida. 

"Tem muitas pessoas que queriam estar no nosso lugar, ter a oportunidade de estar em pé, estar fazendo o gosta, ou até mesmo estar ajudando a outras pessoas." 

Um dos principais motivos que leva Márcio a doar com frequência são as crianças. "Eu fico com dó das criancinhas que queriam estar brincando e não podem porque estão enfermas. Eu acho que a gente tira tanto tempo para curtição. Por que não tirar uns minutos para a doação e ajudar o próximo?". 

Márcio aproveitou para deixar um recado para as pessoas que ainda não sabem o devido valor deste ato. "As pessoas devem pensar que hoje nós estamos bem, mas a gente nunca sabe o dia de amanhã. Mesmo que não possa ser a gente, pode ser um familiar que vai depender dessa ajuda e dessa força. Hoje estamos plantando coisas boas, amanhã estaremos recebendo tudo em troca. Que Deus abençoe a cada um e que possamos sempre ajudar uns aos outros."

Tipos de sangue

Todos os tipos de sangue são necessários para a doação, porém, a diretora Marcela destaca a importância do Sangue tipo O. Ele é conhecido por ser um tipo sanguíneo universal e um dos mais utilizados para cirurgias de emergências.

O que precisa para ser um doador

- Precisa ter entre 16 e 69 anos
- Pesar mais de 50 kg
- Estar em bom estado de saúde e não ter nenhuma doença infecciosa

O doador deve comparecer a qualquer hemocentro portando um documento de identificação com foto. Não precisa estar em jejum. Caso queira fazer a doação de sangue após o almoço, é recomendável que a pessoa aguarde um intervalo de pelo menos 3 horas. É importante evitar alimentos gordurosos e ingerir bebida alcoólica antes da doação.

Marcela ressalta que menores dos 18 anos devem ter a autorização de um responsável legal. Para as pessoas idosas, eles só podem doar até os 69 anos se tiverem feito a primeira doação até 60 anos. Ela ainda faz um alerta: "Se a pessoa estiver com algum sintoma gripal, não deve comparecer ao hemocentro e aguardar um período de 14 dias. Para as pessoas que tiveram coronavírus, o tempo ideal para fazer a doação é após 30 dias."

Procedimento da doação

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória

A duração de todo o processo da doação dura em média de 40 minutos à 1 hora. O doador chega ao local e passa pelas seguintes etapas:

- Cadastro: onde o doador coloca todos os dados, endereço, número de documento e assina um termo de doação de sangue;
- Pré-triagem: é medida a pressão arterial, frequência cardíaca, temperatura e o peso do doador;
- Triagem-clínica: o médico ou enfermeiro que estiver de plantão faz umas perguntas básicas sobre a saúde desse doador. Após isso, se estiver tudo de acordo com os termos para doação, ele estará apto para doação de sangue;
- Sala de coleta: dentro da sala de doação, o doador fica no máximo 15 minutos tirando sangue;
- Lanche: Após a coleta, o doador recebe um lanche e fica 20 minutos no local até ser liberado.

Se o doador apresentar algum sintoma de tontura ou fraqueza após a doação, ele será encaminhado para uma sala específica, onde o médico faz uma avaliação e o doador fica em observação por mais alguns minutos.

Posso voltar às atividades normais após a doação?

O doador tem a opção de pegar um atestado médico. Para a pessoa que está doando pela primeira vez, o recomendado é não voltar às atividades (trabalho). Para um trabalhador braçal, é indicado o descanso, pois pode haver tontura, queda de pressão, ou até mesmo desmaio durante as atividades.

Qual o tempo entre uma doação e outra?

Homens: podem fazer doação de sangue a cada 60 dias, com máximo de 4 doações a cada 12 meses

Mulheres: devem esperar 90 dias entre uma doação e outra, com máximo de 3 doações no período de 12 meses.

Coletas externas

O HEMOES não faz atendimentos em domicílios, mas disponibiliza Coletas Externas. Para esse tipo de atendimento, é preciso agendar pelo telefone: 3636-7920, e ter um grupo de no mínimo 30 pessoas. O atendimento externo pode ser feito em empresas, universidades, escolas, igrejas, condomínios e centros comunitários.

O HEMOES também disponibiliza um ônibus. Marcela explica, que o veículo demanda de uma infraestrutura muito grande. Ainda de acordo com ela, a modalidade de coleta mudou. O número de atendimento é menor e são utilizadas as "cadeiras do papai" para melhor conforto.

Locais de atendimento na Grande Vitória

Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes)

Endereço: Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, Vitória. 
Atendimento: De segunda-feira à Domingo (Funciona também nos feriados)
Horário: De 07h às 19h (cadastro do doador encerra as 18h20).
Telefone: 3636-7900/ 3636-7920/ 3636-7921

Unidade de Coleta da Serra

Endereço: Avenida Eudes Scherrer Souza, s/n (anexo ao Hospital Estadual Dório Silva)
Atendimento: De segunda-feira à sexta-feira 
Horário: De 07h às 12h (cadastro do doador encerra as 11h30). E das 13h às 16h (cadastro do doador encerra às 15h20)
Telefone: 3218-9429/ 3218-9242

Hemocentro de Linhares

Endereço: Avenida João Felipe Calmon, 1.305, Centro (ao lado do Hospital Rio Doce)
Atendimento: De segunda-feira à sexta-feira
Horário: De 07h às 16h (cadastro do doador encerra as 12h30)
Telefone: (27) 3264-6000/ 3264-6019

Hemocentro Regional de Colatina

Endereço: Rua Cassiano Castelo, s/n, Centro
Atendimento: De segunda-feira à sexta-feira
Horário: De 07h às 16h (cadastro do doador encerra as 12h30)
Telefone: (27) 3717-2801 

Hemocentro Regional de São Mateus

Endereço: Rodovia Otovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington
Atendimento: De segunda-feira à sexta-feira
Horário: De 07h às 16h (cadastro do doador encerra as 12h30)
Telefone: (27) 3767-7957 

O grupo de amigos Carlos Eduardo de 42 anos, Fernando Alves de 32 anos, Hudson Santuzzi de 35 anos e Maciel Pereira de 33 anos, se juntou para doar sangue. Não perca a oportunidade de ajudar o próximo. 

Doe Sangue! Salve vidas!

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
Carlos, Fernando, Hudson e Maciel