Estudo aponta crescimento da perda de visão

Saúde

Estudo aponta crescimento da perda de visão

Catarata e presbiopia sem correção lideram ranking mundial; as fake news nas redes sociais também têm sido um problema para a saúde ocular

Foto: Divulgação

Estudo inédito publicado na revista The Lancet revela crescimento de novos casos de cegueira e deficiência visual evitável no mundo todo entre 2010 e 2019, apesar da prevalência se manter estável. Os pesquisadores afirmam que o levantamento teve como base 520 fontes populacionais e contraria a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de reduzir a deficiência visual em 25% entre 2010 e 2019. 

A pesquisa mostra que a maior causa de cegueira tratável no mundo é a catarata. Responde por cerca de 45% dos 33,6 milhões de casos de perdas da visão. Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto o índice é um pouco mais alto. O último censo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), mostra que a catarata responde por 49% da cegueira no país, embora o número de cirurgias tenha dobrado entre 2009 e 2019. 

O médico explica que no Brasil a velocidade do envelhecimento, que avançou 160% em 10 anos, explica esta prevalência. Isso porque, o envelhecimento é a principal causa da doença que torna o cristalino opaco e tem como único tratamento uma cirurgia em que a lente opaca do olho é substituída pelo implante de uma lente intraocular.

Os primeiros sinais da doença são: troca frequente de óculos, dificuldade de dirigir à noite, enxergar halos ao redor da luz, visão embaçada e perda da visão de contraste. O oftalmologista diz que o diagnóstico é feito durante uma consulta de rotina e o momento certo de operar é quando a visão começa dificultar a realização das atividades no dia-a-dia.

Fake viraliza na rede social

Queiroz Neto conta que recentemente viu na rede social um vídeo onde é apresentado um polivitamínico que previne e retarda oito doenças oculares sem risco de cirurgia e seriam elas: DMRI, catarata, irritações oculares, visão cansada, miopia, retinopatias, retinose e mosca volante.

O vídeo conta com a participação de várias pessoas afirmando que tiveram melhora da visão usando o polivitamínico e “médicos” atestando a qualidade do produto. 

 O oftalmologista alerta que não existe outro remédio para catarata além da cirurgia. Vale ressaltar que a maioria das doenças citadas nesta fake news causam perda irreparável da visão. “A retinose é uma doença genética que geralmente tem como primeiro sinal a dificuldade de enxergar à note”, alerta.

Ranking

Em 2020, dos 33,6 casos de cegueira no mundo a catarata é responsável por 15,3 milhões, o glaucoma por 3,6 milhões, os vícios de refração não corrigidos por 2,3 milhões, a degeneração macular por 1,8 milhão e a retinopatia diabética por 900 mil casos.

“As doenças oculares geralmente não dão sinais logo no início e podem causas danos irrecuperáveis. Por isso a partir dos 40 anos é recomendável passar por exame oftalmológico anualmente”, salienta.

Comida para os olhos

Segundo Queiroz Neto o que uma pessoa come influi na saúde dos olhos. No verão que se aproxima não é só óculos de sol, chapéu ou boné que protege os olhos da radiação solar. A alimentação pode melhorar a qualidade da lágrima, ter efeito antioxidante, aumentar a imunidade, evitar o estreitamento dos vasos, melhorar a circulação e fortalecer a imunidade. 

A primeira dica do oftalmologista para proteger os olhos com o que você come é substituir o arroz e o trigo processados por grãos integrais, inserir folhas verdes escuras e peixes gordurosos como bacalhau, sardinha, salmão, cavala e atum na dieta. 

Os alimento de cor laranja - mamão, cenoura, manga, bem como as frutinhas vermelhas e as cítricas ricas em vitamina C completam o cardápio para proteger todo o sistema ocular de degenerações precoces conclui.