Epidemia de Influenza pode durar até 2 meses no ES; segunda onda pode ocorrer em março

Saúde

Epidemia de Influenza pode durar até 2 meses no ES; segunda onda pode ocorrer em março

Diante desse crescimento de casos, o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, reforçou a importância das medidas não farmacológicas para conter o avanço da doença

Foto: Reprodução/Pexels

Nas últimas semanas, os números de casos de pessoas apresentando sintomas gripais cresceu de forma expressiva no Espírito Santo. Segundo o secretário estadual de saúde, Nésio Fernandes, a situação deve permanecer crítica pelos próximos dois meses. 

"O comportamento que temos da Influenza deve se prolongar por 40 a 60 dias, tendo um período de recrudescimento. Não esperamos que essa epidemia de Influenza vá se resolver nos próximos 14 dias", disse o secretário durante um pronunciamento na tarde desta terça-feira (28).

Diante desse crescimento de casos, Nésio reforçou a importância das medidas não farmacológicas para conter o avanço da doença. 

"Algumas medidas não farmacológicas voltam a ter relevância, como lavar as mãos, uso de álcool em gel. Nós temos uma circulação concomitante, tanto no que diz respeito à Covid-19 quanto à Influenza", disse.

LEIA TAMBÉM: Gripe e covid: veja como reduzir riscos para não ficar doente

O secretário destacou ainda que a chegada do período de festas de fim de ano, verão e carnaval pode colaborar para o aumento de casos.

"Nós temos um ciclo de festas de verão, de carnaval, que antecede a semana epidemiológica oito, onde temos um comportamento sazonal das SRAGs e da Influenza", concluiu. 

Seis pessoas já morreram no ES por Influenza 

De acordo com o secretário estadual de saúde, o alto número de casos da doença já releva que vivemos no Espírito Santo não mais um surto, mas uma epidemia da Influenza. 

"Não vivemos um surto, vivemos uma epidemia de Influenza que, nos últimos 25 dias, tirou a vida de 5 capixabas. A cobertura vacinal com as vacinas disponíveis não foi suficiente para impedir a circulação da variante (da gripe)", destacou Nésio Fernandes. 

No final da tarde, no entanto, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou um boletim em que informa que, na verdade, o Espírito Santo registrou seis mortes por gripe nas últimas semanas.

LEIA TAMBÉM: ES tem cinco mortes por gripe nos últimos 25 dias, diz secretário

Secretário faz apelo para vacinação contra covid-19 e Influenza

Segundo o secretário, a forma mais eficiente de combater o vírus é a vacinação. Atualmente, cerca de 78% da população apta a receber vacina contra a gripe no Espírito Santo foram vacinadas.

"O Estado precisa se mobilizar no enfrentamento a duas condições de transmissão comunitária. Temos uma margem muito grande para avançar no controle da covid-19", disse. 

Nésio também reforçou que, aqueles que ainda não se vacinaram, devem buscar os pontos de vacinação para se imunizar tanto contra a covid-19, quanto para a Influenza. 

"Meu apelo é que todos procurem a vacinação. Quem não iniciou ainda o esquema vacinal, procure imediatamente. Aqueles que ainda não completaram seu esquema vacinal, procure completar o mais rápido possível. A vacina contra a Influenza também está disponível e protege contra outros vírus que podem estar em circulação na transmissão comunitária", afirmou.

Pessoas com sintomas leves devem procurar postos de saúde

O secretário reforçou a recomendação para que, em casos de sintomas gripais leves, as pessoas devem buscar a unidade básica de saúde. Os PAs, que vem enfrentando um aumento no número de atendimentos desde o inicio do mês, devem ser reservados para o atendimento de casos graves.

LEIA TAMBÉM: Gripe no ES: pacientes reclamam de filas e demora no atendimento nos PAs da Grande Vitória