Centro Universitário abre vagas de oficina gratuita para atender população de comunidades vulneráveis de Vitória

Trabalho

Centro Universitário abre vagas de oficina gratuita para atender população de comunidades vulneráveis de Vitória

O projeto “Design social: estampado cultura e arte” tem como objetivo promover o desenvolvimento do empreendedorismo social

Foto: Divulgação

Moradores da Grande Vitória terão a oportunidade de participar de um projeto voltado para o desenvolvimento do empreendedorismo social. O “Design social: estampando cultura e arte”, promovido pela FAESA em parceria com o SICOOB, vai ofertar uma nova turma para a oficina gratuita de customização para estamparia e tapeçaria. No total estão disponíveis 20 vagas. As aulas serão ministradas pelo professor do curso de Design de Moda, Elsimar Rosindo Torres, e o projeto conta com o apoio da ONG Bem Brasil - Instituto de Desenvolvimento Social.

As inscrições já estão abertas e vão até o dia 18 de fevereiro. Os interessados podem se inscrever pelo e-mail [email protected] A oficina tem início no dia 20 de fevereiro e as aulas acontecerão quinzenalmente, aos sábados, de 08h às 12 horas, nos laboratórios de design da FAESA.

O coordenador responsável pelo Projeto Design Social, Elsimar Rosindo Torres, explica que o projeto tem o objetivo de valorizar e dar visibilidade às identidades e culturas de diversos grupos sociais, para oferecer mais uma ferramenta de empoderamento. “A ideia é capacitar pessoas para que elas possam desenvolver produtos valorizando sua própria cultura, a partir de temáticas sociais como a cultura negra, o feminismo e muitas outras. Com o domínio de técnicas como a estamparia, tapeçaria e customização, elas estarão aptas a empreender e criar oportunidades de geração de renda”, destaca.

Aluno da primeira turma, Vitor Vasale, 32 anos, já realizou a capacitação teórica e está ansioso para o início das aulas práticas de estamparia e tapeçaria. Vitor faz parte da equipe de carnaval de uma escola de samba de Vitória, e viu no curso uma oportunidade para agregar técnicas para suas produções artísticas voltadas para o carnaval. “Acredito que estar participando desse curso vai contribuir muito para agregar técnicas as minhas produções, pois o curso nos ajudou a partir do concreto, do real, para o abstrato, simbólico. Ainda não estou aplicando na prática, pois não iniciamos o processo de desenho e confecção, mas será excelente, pois os desfiles são em grande parte feitos com produções artesanais e manufaturadas”, ressaltou.