Lançamento da nova classificação dos fundos da Anbima passa para 1º de outubro

Economia

Lançamento da nova classificação dos fundos da Anbima passa para 1º de outubro

Redação Folha Vitória

São Paulo - O lançamento da nova classificação dos fundos da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) será postergada para o dia 1º de outubro, segundo nota à imprensa enviada pela entidade. Antes planejado para 1º de julho, a mudança no cronograma ocorre por conta da alteração da entrada em vigor das instruções 554 e 555 pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A decisão da CVM ocorreu após pleito da própria Anbima, sobre necessidade de adaptação de sistemas. Como explica a CVM em comunicado, "a prorrogação do prazo para entrada em vigor da ICVM 555 demandou o adiamento da entrada em vigor da ICVM 554, que alterou, entre outras, a Instrução CVM 539, a qual dispõe sobre o dever de verificação da adequação dos produtos, serviços e operações ao perfil do cliente".

A nova classificação da Anbima tem como principal objetivo facilitar o processo de decisão de investimento e permitir uma adequada comparação entre os produtos.

Assim, o novo modelo partirá de três níveis, que guiarão a escolha dos produtos, tanto do lado dos distribuidores, consultores, quanto para os próprios investidores. O primeiro nível irá refletir a classe de ativos; o segundo o tipo de gestão e riscos e o terceiro relaciona-se às principais estratégias.

Entre as classe de ativos, que constam no nível 1, estão Renda Fixa, Ações, Multimercados e Cambial. Escolhida a classe, parte-se, assim, para o próximo nível. Por exemplo, se a escolha for por um fundo de renda fixa, no nível 2, que contêm os tipos de estratégia, o investidores poderão optar entre as categorias simples, passivo, ativo baixa duração/média duração/alta duração/livre duração e investimentos no exterior.

Vencido esse nível faltará a escolha da subcategoria, que na classe de renda fixa são: renda fixa simples, índices, soberano/grau de investimento/crédito livre e, por fim, investimento no exterior/dívida externa.

Um dos objetivos da Anbima com a nossa classificação é que a escolha do produto seja feita de acordo com a necessidade futura de capital, se será de curto, médio ou longo prazo, o que direcionará para uma escolha adequada, com custos compatíveis.