Número de horas pagas na indústria recua 1,3% em maio

Economia

Número de horas pagas na indústria recua 1,3% em maio

Redação Folha Vitória

Rio de Janeiro - O número de horas pagas pela indústria recuou 1,3% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira, 17, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a terceira taxa negativa consecutiva e a queda mais intensa desde janeiro de 2009 (-1,5%).

Já no confronto com maio de 2014, a redução no indicador foi de 6,6%, a 24ª taxa negativa nesse tipo de comparação e a maior verificada desde agosto de 2009 (-6,7%). Com o resultado, a queda no acumulado do ano foi de 5,6% e em 12 meses de 5,1%.

Na comparação com maio do ano passado, 17 dos 18 setores apontaram taxas negativas. As principais influências negativas vieram de meios de transporte (-12,5%), máquinas e equipamentos (-10%), alimentos e bebidas (-3,3%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-13,1%), produtos de metal (-11,1%), calçados e couro (-11,6%), outros produtos da indústria de transformação (-9,1%), vestuário (-5,7%) e metalurgia básica (-9,6%).

Na outra ponta, o setor de produtos químicos foi a única influência positiva no período, com alta de 0,4%.