Levy diz a empresários que o ajuste é necessário para ampliar competitividade

Economia

Levy diz a empresários que o ajuste é necessário para ampliar competitividade

Redação Folha Vitória

São Paulo e Brasília - No esforço de mostrar a empresários que o governo tem uma agenda para o crescimento, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, se reuniu nesta quinta-feira, 13, em São Paulo com 140 empresários de vários setores produtivos, em evento fechado à imprensa. Levy mostrou-se otimista com as perspectivas de evolução de economia do Pais, e ressaltou que há a colaboração do Congresso para a aprovação de medidas que vão melhorar o ambiente de negócios, como a as reformas do ICMS e PIS Cofins, além da repatriação de recursos que estão no exterior.

Levy ressaltou que a "troca de fiação" para melhorar a competitividade e a produtividade nacional requer que o ajuste das contas públicas continue. "Os problemas fiscais do País ainda permanecem", comentou o ministro.

Levy se manifestou contrário à avaliação de agentes econômicos de que é certo que o Brasil perderá o grau de investimento em 6 ou 9 meses. "O Brasil é hoje grau de investimento", disse o ministro, afirmando que a nota soberana do País tem que subir e não cair, o que requer trabalho árduo da sociedade e do governo para que as condições econômicas se desenvolvam. Na avaliação do ministro, não há espaço para descanso ou resignação ante a hipótese de um novo rebaixamento do País em 2016.

O ministro também disse aos empresários que as concessões públicas em infraestrutura são um pilar muito importante para o aumento dos investimentos no País.

Depois da divulgação da "Agenda Brasil" com ações para a retomada do crescimento, o ministro tem aumentado a ofensiva na busca de apoio às medidas. Na terça-feira, Levy se reuniu com os presidentes dos dez maiores bancos do País. O encontro de hoje foi organizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). Nesta sexta-feira, 14, o ministro fará uma nova palestra para mil empresários em São Paulo, evento promovido pela Câmara Americana de Comércio (Amcham), no qual deverá também avaliará medidas que farão a economia do País se recuperar.

No Twitter, o presidente do Conselho de Administração da MRV Engenharia, Rubens Menin, postou que o apoio ao Levy é "unânime" no setor produtivo durante 'Fórum da ABRH'. "Ele é considerado a âncora de credibilidade do setor produtivo dentro do governo", postou o executivo. Segundo ele, o setor empresarial pode e deve contribuir muito para a melhoria da economia, mas o governo deve abrir espaço para "maior interação". Em um dos posts, Menin afirma que o consenso no 'Fórum da ABRH' é que o momento atual do País é difícil e vai exigir "esforços de todos" para contornar os problemas. (Colaborou Adriana Fernandes)