Procura por antecipação do 13º dispara nos bancos, segundo levantamento

Economia

Procura por antecipação do 13º dispara nos bancos, segundo levantamento

Uma das vantagens é que o valor emprestado é pago somente em novembro e dezembro. Confira a consulta feita junto a quatro grandes bancos

Percentual de brasileiros que recorreu aos bancos para antecipar 13º salário aumentou nos primeiros seis meses de 2016  Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Desde que o começo do ano, o orçamento do técnico em informática João Paulo Leme estava apertado. Os meses foram passando e aumentava a dificuldade para conseguir fechar as contas no azul. Foi então que ele tomou uma decisão.

— O gerente do banco onde eu recebo pagamento disse que uma possibilidade era antecipar parte do meu 13º. Melhor do que pagar uma prestação de um empréstimo no mês seguinte era esperar até o fim do ano e pagar tudo de uma vez, com um dinheiro que já é certo.

Ele conta que pegou cerca de R$ 2.000 emprestados, mas admite que não prestou muita atenção em quanto vai pagar lá em novembro, quando cair a primeira parcela do 13º salário.

— Ele [gerente] me disse que junto com os R$ 2.000 haveria mais um desconto que era referente aos juros. Concordei, mas não entrei em detalhes sobre quanto seria. Acho que foi um erro, vou ter que ir atrás disso. Na hora da pressa para pagar as contas atrasadas a gente não pensa muito.

Leme é um dos muitos brasileiros que usaram essa modalidade de empréstimo nos seis primeiros meses de 2016. Consulta feita pelo R7 junto a quatro grandes bancos mostra aumento na antecipação

O Santander registrou 57% de alta nas contratações de antecipação de 13º entre janeiro e junho, em comparação com o mesmo período de 2015. O tíquete médio dessa modalidade no banco é de R$ 1.800, a juros que variam entre 2,59% a. m. (mínimo) a 4,59% a.m. (máximo).

As antecipações de 13º no Itaú cresceram 25% no primeiro semestre. A taxa de juros mensal é a partir de 2,91% ao mês. Clientes podem antecipar qualquer valor, com limite de R$ 5.000.

Na Caixa, a alta nesse segmento de empréstimo foi de 14%. A taxa de juros é de 3,47% a.m., sendo que é permitido ao cliente antecipar até R$ 20 mil. O valor a ser liberado leva em conta a parcela líquida do 13º.

O Banco do Brasil teve aumento de 10% na procura pela antecipação do 13º entre janeiro e junho de 2016. Os clientes optam, normalmente, por solicitar as duas parcelas, sendo que o valor médio emprestado é de R$ 1.300 por cliente.

A instituição, assim como a Caixa, concede esse tipo de crédito a muitos funcionários públicos. Os juros médios praticados são de 3,48% a.m., mas pode variar dependendo do convênio que o banco tenha com o órgão pagador.  O BB disponibilizou para essa linha de crédito R$ 1,2 bilhão no primeiro semestre.

Para o diretor-executivo de Estudos Financeiros da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), Miguel Ribeiro de Oliveira, essa modalidade de empréstimo pode ser interessante para quem está com dívidas de cheque especial ou cartão de crédito, por exemplo.

— A primeira vantagem é o fato de que tem taxas de juros mais baratas que as demais modalidades. A segunda vantagem é o fato de que ele não precisa tirar do orçamento mensal dele o valor da parcela.

Um exemplo citado por ele é o de uma pessoa que deva hoje R$ 1.800 de cartão de crédito. Se ela esperar até dezembro para pagar, terá que desembolsar R$ 3.148,21. Já se fizer a antecipação do 13º hoje, no valor de R$ 1.800, vai pagar R$ 2.025,92 no fim do ano.

Isso se confirmou no Banco do Brasil, onde 65% dos clientes que antecipam o 13º usam o dinheiro para quitar ou amortizar dívidas com juros mais altos.

O diretor da Anefac alerta que quem for contratar esse tipo de empréstimo precisa estar ciente das despesas que vão surgir lá na frente.

— O grande problema é que ele fazendo isso, lá na frente não vai ter o 13º. Muita gente usa esse dinheiro como uma reserva financeira para as despesas do começo de ano. Em janeiro tem IPTU, IPVA, matrícula escolar... esse aumento dessa linha de crédito tem a ver com a recessão econômica, inflação alta. É uma boa linha para dívidas mais caras, mas tem que tomar cuidado porque você está antecipando receita. É aquela história do cara vendendo o almoço para comer a janta.

Por regra, o cliente só consegue antecipar o 13º no banco em que recebe o salário. É possível ainda que a instituição exija contracheques recentes e estabeleça um limite a ser emprestado. Uma vez aprovado o crédito, o dinheiro é liberado na hora.

Com informações do Portal R7