Transformação Digital: Como deve ser o profissional do futuro

Transformação Digital

Economia

Transformação Digital: Como deve ser o profissional do futuro

A boa notícia é que há milhares de oportunidades. Mas é preciso atitude: pela velocidade da transformação, o que é novidade hoje pode não ser mais no futuro. E o futuro pode ser amanhã.

Francine Leite

Redação Folha Vitória

A maioria das pessoas já percebeu: a internet mudou maneiras tradicionais de desempenhar funções. E uma consequência já vivenciada da transformação digital é o impacto das novas formas de negócios. 

As startups estão mudando de forma exponencial  o mercado de trabalho. Na mesma velocidade em que crescem, elas transformam o tipo de profissional que os ambientes de trabalho demandam, dizem os especialistas.

Em uma palestra, em Vitória, o consultor de transformação digital, Edson Mackeenzy, mostrou como os jovens podem aproveitar as frustrações e erros do dia-a-dia para crescer na carreira, ou nas carreiras - cada vez mais fluidas. 

Ele critica os currículos do ensino superior, que formam profissionais para mercados ultrapassados. Mas salienta que a mudança depende da atitude de cada um: "cabe ao universitário buscar o conhecimento nível 10, inclusive fora da sala de aula, porque quem ganha nota sete também se forma."

Eudaimonia

Numa conversa com estudantes universitários, Mackeenzy desmistificou teorias amplamente difundidas no mundo do trabalho e do empreendedorismo. 

De acordo com o especialista, o pensando e filósofo chinês Confúncio estava errado quando disse "Escolha um trabalho que você ame e não terá que trabalhar um único dia em sua vida." Para Edson, não existe o perfeito e, não importa qual seja o trabalho, sempre haverá partes ruins. 

Foto: Lucas Pisa
"As pessoas têm difundido um conceito que vem do grego 'eudaimonia', que define o ápice da felicidade, a plenitude, o ambiente perfeito para tudo. Isso não é real. A não ser que seja uma causa, pela qual haverá luta e, portanto, dificuldades. " 
- Edson Mackeenzy

Há quem diga que as melhores coisas da vida estão fora da zona de conforto. No entanto, de acordo com Mackeenzy, essa é outra mentira. Para ele, a estratégia é se adaptar ao mercado, que muda o tempo todo. 

Todo profissional deve ser uma startup

Numa definição rápida, startup é um negócio tradicional, só que pensado de forma inovadora, com soluções que podem ser replicadas no mundo inteiro. Ou seja, novas maneiras de se fazer algo relativamente antigo, mesmo que a oportunidade trazida pelo negócio nunca tenha sido notada antes . 

Esse é o pensamento que todo profissional deve ter em mente, conforme Mackeenzy: "startups são reinvenções, formas mais inteligentes e democráticas de fazer algo. Se todo jovem tiver isso em mente, teremos um mercado de trabalho muito mais saudável." 

A principal dica é se indignar, não se acomodar e procurar habilidades complementares. "Se você não está em busca de uma solução, você é parte do problema", filosofa o consultor. 

Inovação não é ligar algo na tomada, é fazer algo de forma mais prática e a preços menores. É procurar outros caminhos para melhorar a vida das pessoas no círculo em que se está inserido.  
- Edson Mackeenzy

Edson Mackeenzy é carioca, cresceu em Vitória e hoje mora em São Paulo. Já tentou se formar na faculdade várias vezes, segundo ele mesmo, e continua estudando.  Hoje é empreendedor, investidor anjo e consultor de transformação digital de grandes empresas e multinacionais. 

Assista ao bate-papo com o Edson Mackeenzy:

Leia também:

Mundo pré e pós-smartphone: como a inovação disruptiva está mudando os padrões de consumo

Plugue-se

A palestra faz parte do Plugue-se, evento promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Indústrias no Espírito Santo (Sebrae-ES) sobre transformação digital nas pequenas empresas. Uma viagem pelo universo da tecnologia, que tem fervilhado as ideias de empreendedores mundo afora. 

O evento continua até o dia 30 de novembro e pode ser assistido online ou presencialmente. As inscrições devem ser feitas pelo site.