Multipropriedade: o futuro é compartilhado

Se você achava que o futuro trazia novidades só na forma como nos locomovemos ou mesmo algumas interações de trabalho, pense de novo. É possível que toda nossa forma de viver, incluindo nossas férias, sejam redefinidas de modo a maximizar seus benefícios.

Ontem realizei uma Live no perfil do Folha Vitória com o Rafael Almeida, CEO do Grupo Natos, que trabalha com multipropriedades. Essa é uma modalidade imobiliária onde você adquire um imóvel de férias em cotas, sendo de fato um sistema de propriedade compartilhada.

A idéia é que ao adquirir uma fração do imóvel você arque apenas com uma fração de seus custos e manutenção, proporcional ao que efetivamente desfruta, garantindo as férias da família em um patrimônio próprio, escriturado. Aqui vale destacar a diferença da modalidade de “TimeShare” onde o cliente adquire diárias antecipadas mas não é dono do imóvel.

Inclue-se a isso toda disponibilidade de serviços de hotel e infraestrutura de lazer de um resort, sem as restrições que os mesmos poderiam ter. Um bom exemplo é em relação as datas de utilização, que são definidas no ato da compra pelo cliente, mas que em caso de mudança de planos, pode ser trocada mediante disponibilidade e solicitação a Administradora.

Além disso, imaginando que a família tenha escolhido férias em outro local, existe a possibilidade de alocar seu período de utilização no pool hoteleiro, onde suas diárias são comercializadas e podem gerar dividendos. Neste aspecto um destaque feito pelo CEO Rafael é que “não é o foco vender uma propriedade para renda, como os Condohotéis. O que se apresenta é uma solução de férias, que permite outras alternativas”.

Ao mencionar estas alternativas inclusive, deu exemplo de como atualmente essas diárias podem ser convertidas em pontos e utilizadas em outros destinos nacionais e internacionais, até mesmo na Disney. Este benefício agrega tarifas promocionais exclusivas em um clube de vantagens com mais de 250 mil hotéis cadastrados.

O interessante é observar que este conceito existe desde os anos 60 no mundo, e vem sendo mais difundido recentemente no Brasil com a recente edição de leis específicas que resguardam os proprietários.

O futuro é compartilhado, e sabendo que não estamos sempre em todos os lugares, a tendência natural é optar por aquisições, investimentos e contratações cada vez mais sustentáveis. Saber que nossas férias também estão resguardadas e são flexíveis é mais um indicativo das novidades que o futuro traz, vale a pena conhecer.

* artigo escrito por Rafael Ottaiano, fundador da Positiv Network.

** conteúdo em vídeo no canal do YouTube, inscreva-se!

*** receba os artigos em primeira mão e de fácil compartilhar, clicando aqui.

 

Um comentário em “Multipropriedade: o futuro é compartilhado”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *