Dino (divulgador de notícias)

Geral

Faturamento dos serviços de alimentação cresceu 16% em 2023

Segundo pesquisa, 74% dos negócios apontaram lucro no ano passado, 21% fecharam 2023 próximo a zero e 5% relataram prejuízo

Foto: Divulgação/DINO

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Nacional de Restaurantes (ANR) e Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), e conduzida pela consultoria Galunion, 74% dos serviços de alimentação, como restaurantes, cafés e lanchonetes, tiveram alta em seu faturamento em 2023, ante os 58% do ano anterior. Trata-se de um aumento de 16 pontos percentuais na quantidade de negócios que conseguiram incrementar o faturamento no último ano. Outros 18% revelaram estar com faturamento igual e 8% com receita inferior.

Com relação ao resultado financeiro das operações, também foi registrado lucro de 74% no ano passado, ao passo que 21% tiveram resultado próximo a zero e 5% relataram prejuízo. 

Para o sócio-diretor da franquia de alimentação saudável Sucão, Filipe Falcão, o levantamento é extremamente positivo e demonstra uma recuperação do setor após o período crítico da pandemia. “Esse crescimento indica não apenas uma retomada do consumo, mas também uma adaptação bem-sucedida dos negócios às novas demandas e expectativas dos consumidores.”

Os dados mostram ainda que houve um decréscimo de seis pontos percentuais no número de empresas do segmento que estão com dívidas ou atrasos de pagamento, caindo de 28% em agosto de 2023 para 22% em fevereiro-março de 2024. “O aquecimento do setor no período pós-pandemia é um indicativo claro de que o mercado está se fortalecendo, criando um ambiente propício para novos investimentos. Para os empresários, este é um momento oportuno para expandir seus negócios, diversificar suas ofertas e inovar em produtos e serviços”, ressalta Falcão.

“Investir agora pode significar capitalizar sobre um mercado em expansão, aproveitando a recuperação econômica e a disposição dos consumidores de gastar em experiências alimentares”, afirma o CEO. Ele diz ainda que as lições aprendidas durante a pandemia sobre eficiência operacional e adaptação rápida às mudanças do mercado podem ajudar os empresários a tomar decisões estratégicas mais assertivas.

No entanto, o levantamento revelou preocupação do setor sobre encontrar e reter talentos. Cerca de 57% das empresas informaram falta de mão de obra qualificada, tanto para contratação como para retenção. Em contrapartida, 37% afirmam que vão focar no desenvolvimento da gestão, por meio de treinamentos internos e externos. Outros 31% revelam investir em premiação a partir de metas atingidas, 24% em um plano de carreira revigorado, com novas perspectivas e personalização, e 22% com mudança no formato de remuneração, com introdução de parte variável.

“É importante ressaltar que o setor de alimentação não apenas se recuperou, mas também evoluiu significativamente durante a pandemia. A franquia Sucão, por exemplo, tem investido em tecnologias e processos para melhorar a experiência do cliente e a eficiência operacional. Acreditamos que o futuro do setor é brilhante e cheio de oportunidades para aqueles que estão dispostos a inovar e se adaptar às novas demandas do mercado”, conclui Falcão.

Pontos moeda