• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ônibus Rosa atende mulheres vítimas de violência doméstica na Grande Vitória

Polícia

Ônibus Rosa atende mulheres vítimas de violência doméstica na Grande Vitória

O evento é de abrangência nacional, idealizada pela Ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), e vai mobilizar os 27 Tribunais do País

O ônibus passará por vários municípios Foto: Divulgação

A campanha “Justiça pela Paz em Casa”, promovida Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), por meio da Coordenadoria Estadual de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar, levou um ônibus rosa para as ruas da Grande Vitória e no interior do Estado. A campanha terá prosseguimento durante toda a semana, com a previsão de julgamento de cerca de 850 processos relativos à Violência Doméstica.

Nesta segunda-feira (9) e nesta terça-feira (10), o ônibus do Juizado Itinerante da Lei Maria da Penha segue para Cariacica, onde realiza o atendimento às mulheres locais e de Viana. No dia 11, o ônibus atenderá na Serra, e nos dias 12 e 13, em Vila Velha. 

A equipe multidisciplinar que trabalha no ônibus é formada por servidores do Judiciário, defensor público, policial, investigador, psicólogo e assistente social. A expectativa da Coordenadoria da Violência Doméstica é de que o ônibus faça cerca de mil atendimentos nos 5 municípios durante a semana da campanha.

A campanha “Justiça pela Paz em Casa” é um evento de abrangência nacional, idealizada pela Ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), e vai mobilizar os 27 Tribunais do País, com o objetivo de promover a paz nos lares brasileiros por meio de ações concretas de combate à violência contra a mulher.

Para a juíza Hermínia Azoury, coordenadora estadual de enfrentamento à violência doméstica e familiar, o trabalho de prevenção é a cada dia mais importante. “A educação muda uma cultura viciada para um resultado melhor. É só através da informação que as pessoas conhecem seus verdadeiros direitos e sua cidadania”, disse.