Oito suspeitos de envolvimento na morte de soldado da PM em Marataízes são condenados

Polícia

Oito suspeitos de envolvimento na morte de soldado da PM em Marataízes são condenados

As denúncias foram oferecidas pelo Ministério Público do Espírito Santo, e a sentença foi dada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Itapemirim, no fim do mês de agosto

Os acusados pelo morte de Eduardo foram condenados por roubo, formação de quadrilha e homicídio Foto: Reprodução Facebook

A Justiça condenou oito denunciados pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) pela morte do soldado da Polícia Militar Eduardo da Silva Júnior, torturado e executado a tiros no dia 10 de março de 2015, em Itapemirim. A sentença foi dada pelo Juiz de Direito da 1ª Vara Criminal de Itapemirim, José Flavio D'angelo Alcuri, no dia 29 de agosto. 

Na sentença, o magistrado lembra que a denúncia do Ministério Público sustenta que os acusados se associaram para a prática de crimes em Cachoeiro de Itapemirim, Marataízes e Itapemirim. Os acusados foram condenados por roubo, formação de quadrilha e homicídio. 

Benjamin Martins Marcelino, taxista que levou o grupo até o local para o roubo ao carro do policial no município de Marataízes, foi condenado a 13 anos e quatro meses de reclusão.

Vinícius Silva Sartório, Maurício Fraga Fernandes e Leandro Maia dos Santos foram condenados cada um a 34 anos e nove meses de reclusão. Lucas Gomes recebeu pena de 30 anos e dez meses. Bruno dos Santos Oliveira da Silva, Alef de Oliveira e Allan Victor Porto Paz, que ficaram presos preventivamente por quase um ano, devem cumprir pena de quatro anos e dois meses de reclusão.

O soldado da PM foi sequestrado por cinco criminosos em Marataízes na noite do dia 10 de março de 2015, quando seguia para a casa do tio, na Lagoa Funda. O veículo da vítima, um Corolla, de cor prata, foi localizado incendiado durante a madrugada do dia 11, em uma estrada na localidade de São João, zona rural de Vargem Alta. O corpo do soldado foi encontrado por volta de 10h40 na localidade de Brejo Grande do Sul, zona rural de Itapemirim, do mesmo dia. Ele foi morto com requintes de crueldade.