Cresce o número de jovens que sofrem infarto

Saúde

Cresce o número de jovens que sofrem infarto

Metade dos casos são silenciosos e o estilo de vida tem relação direta com a incidência da doença

Foto: Divulgação / Pexel

Quando se trata de doenças do coração, a falta de informação pode ser fatal. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, a cada dois minutos morre uma pessoa devido a uma enfermidade cardiovascular. A incidência entre o público mais jovem vem aumentando consideravelmente. A situação se agrava, pois, poucas pessoas sabem reconhecer os sintomas de um infarto, apenas 2% dos brasileiros. 

Estilo de vida, sedentarismo, tabagismo, estresse, hipertensão arterial e diabetes formam o pacote dos principais fatores causadores da doença.

O cardiologista Leopoldo Piegas, responsável pelo Programa de Cuidados Clínicos do Infarto Agudo do Miocárdio, reconhecido pela Joint Commission International (JCI), explica que o problema é causado quando uma artéria é contraída ou obstruída, de forma parcial ou total. "O músculo cardíaco requer uma demanda constante de sangue rico em oxigênio para manter seu funcionamento adequado. Se algo impede o fluxo sanguíneo, o coração tem suas atividades comprometidas. Por isso, conhecer os sintomas e procurar ajuda rapidamente são atitudes de extrema importância", esclarece.

Dores e sensação de aperto no peito, falta de ar, fadiga e náusea. Esses e outros sintomas em conjunto, de acordo com Dr. Piegas, são fortes indicações de que uma pessoa pode estar sofrendo de infarto. Mas, cerca de metade deles são silenciosos, ou seja, não apresentam qualquer sinal. "A presença de alguns fatores de risco considerados clássicos expõe as vítimas a um maior risco de desenvolver doenças cardíacas. As consequências de um ataque cardíaco sem sintomas podem ser tão ruins quanto as de um ataque facilmente reconhecido", explica.

Check-up

Diante do problema, Dr. Piegas ressalta a importância da prevenção e a necessidade de fazer exames preventivos regularmente. Estas medidas, segundo o cardiologista, são fundamentais para detectar precocemente os infartos silenciosos. "Os males que acometem o coração começam a surgir por volta dos 30 anos. Porém, pessoas que apresentam histórico familiar ou fatores de risco devem visitar o médico mais cedo", recomenda Dr. Piegas.

Confira algumas dicas simples a serem adotadas, sempre que possível, para afastar o risco de sofrer problemas cardíacos:

Pratique atividade física;

Dê mais atenção às suas necessidades pessoais;

Evite o estresse no trabalho;

Alimente-se com calma;

Mantenha os índices de colesterol e a pressão arterial sob controle;

Abandone hábitos prejudiciais, como excesso de bebidas alcoólicas e cigarro.