Espinhas: posso ou não espremer? Especialista explica!

Saúde

Espinhas: posso ou não espremer? Especialista explica!

Após Kim Kardashian aparecer em vídeo espremendo espinha da irmã, dermatofuncional faz alerta sobre os riscos que o hábito pode causar à saúde

Foto: Divulgação

A socialite Kim Kardashian apareceu espremendo espinhas do rosto e do pescoço de sua irmã Khloé Kardashian, em uma cena bônus da Keeping Up With the Kardashians, reality show que acompanha a vida da família. No vídeo, Kim manuseia um objeto parecido com uma agulha no rosto da irmã. Segundo a dermatofuncional Marcela Rodrigues, esse ato pode causar problemas e até piorar as espinhas.

“O ideal é não espremer, porque além de não a fazer desaparecer, ela pode piorar. Ao espremer a espinha acaba forçando o pus a sair, machucando a pele e deixando uma ferida aberta, isso é um grande convite para a entrada de bactérias nessa área”, explica.

A profissional lembra que por se tratar de espinhas na fase adulta o ideal é investigar o porquê do aparecimento delas, já que é mais comum na fase da adolescência. “Alterações hormonais é o principal vilão, no caso das mulheres, mas fatores como hereditariedade, estresse, exposição à luz ultravioleta, obesidade, bem como níveis elevados de colesterol e lipoproteínas de baixa densidade podem ser algumas das causas por trás da acne adulta”, afirma.

Cuidados

De acordo com Marcela, cuidados simples como manter o celular limpo lavar com frequência os pincéis de maquiagem, higienizar óculos de grau e de sol, não cutucar, usar produtos adequados ao seu tipo de pele e trocar com frequência a roupa de cama e banho podem evitar que acne surja. “Essas informações parecem bobas, mas fazem toda a diferença para a pele. Inclusive esses cuidados simples, vão fazer a sua limpeza de pele profissional durar por muito mais tempo, sem que outras espinhas apareçam”, comenta a dermatofuncional.

Marcela também aconselha lavar o rosto pelo menos duas vezes ao dia com sabonetes e produtos apropriados, usar adstringente, protetor solar, hidratantes indicados para pele oleosa e produtos secativos pontuais para as lesões. “Sem falar em maquiagem e outros cosméticos diários que devem ser de preferência oil free ou adequados para pele acneica”, completa.

Tratamentos

Além dos tratamentos prescritos por um dermatologista que pode incluir o uso de remédios via oral, Marcela explica que outras terapias também são bem-vindas.

“Peeling e outras terapias abrasivas como microagulhamento de maneira complementar a terapia convencional podem ser incluídas, com objetivo de melhorar o aspecto da pele e suavizar cicatrizes. Além disso, esses procedimentos estimulam a produção de colágeno, que dão firmeza e sustentação à pele”, finaliza a dermatofuncional.