Falha em refrigeração de vacinas não afetou imunização, garante Prefeitura de Vila Velha

Saúde

Falha em refrigeração de vacinas não afetou imunização, garante Prefeitura de Vila Velha

Ao todo, 547 doses do imunizante contra a covid-19 foram encaminhadas para uma análise de eficácia após problema em resfriador de uma unidade de saúde

Foto: Divulgação

Na última sexta-feira (12), um problema em um resfriador de armazenamento de vacinas colocou em risco um total de 547 doses da Coronavac, um dos imunizantes contra a covid-19 no Espírito Santo. Os frascos estavam na Unidade de Saúde de Vila Batista, em Vila Velha, e foram enviadas para análise de eficácia. O prazo será de 30 dias para que o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), no Rio de Janeiro, informe se haverá perda de alguma das doses. 

Apesar da análise ainda não ter sido concluída, a Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha fez um comunicado nesta quarta-feira (17), dizendo que não houve perda de doses das vacinas e que a falha não comprometeu o calendário de vacinação do município. A explicação da prefeitura é de que foi diagnosticada oscilação de temperatura da câmara de frio da unidade de Saúde citada e, por prevenção, as doses foram separadas e enviadas para análise.

A administração também diagnosticou a rede de frio das unidades de saúde como obsoleta e um processo de compra de novas câmaras foi aberto pela secretaria municipal de Saúde para substituição e modernização de toda a rede. Além disso, geradores já foram locados e serão instalados para manter a rede de frio central em funcionamento durante 24 horas.

Leia também: Saiba como funciona a ordem da fila de vacinação contra a covid-19

A Secretaria Municipal de Saúde ainda afirmou que "preza pela transparência em seus procedimentos e, por isso, encaminhou cópias das documentações técnicas ao Ministério Público Estadual e a Polícia Civil para que investigações complementares respaldem tomadas de decisões administrativas e, se preciso criminal".

Na segunda-feira (15), a prefeitura do município já havia informado que as doses foram encaminhadas para análise de qualidade, cujo procedimento dura em média 30 dias. Não havia sido esclarecido, no entanto, se o imunizante era da Coronavac ou Oxford/Astrazeneca.

Também na segunda, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que recebeu a notificação da Prefeitura de Vila Velha no último dia 12 sobre o caso e  que orientou a secretaria municipal a separar as doses e enviar para análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Veja o comunicado na íntegra:

A Prefeitura de Vila Velha, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que não há perdas de doses de vacinas Coronavac, usadas na campanha de imunização contra a COVID, como erroneamente está sendo propagado nas redes sociais e também por parte da imprensa. Foi diagnosticada oscilação de temperatura da câmara de frio da Unidade de Saúde de Vila Batista, na última sexta-feira (12), e preventivamente 547 doses foram separadas e enviadas para análise de eficácia.

Nesta terça-feira (16) a Secretaria tomou conhecimento de uma ordem de serviço, datada de outubro de 2020, que apontava pane mecânica na mesma câmara fria, que funcionava na ocasião na unidade de Ponta da Fruta e foi transferida para a unidade de Vila Batista posteriormente ao problema. Na ordem de serviço o documento aponta que o “equipamento estava congelando o evaporador e apresentava o aumento de temperatura”, fato que demonstra a incompetência, o descaso e a falta de zelo com a coisa pública pela administração anterior, não relatado a atual gestão durante o processo de transição.

Por diagnosticar que a rede de frio das unidades de saúde é obsoleta, um processo de compra de novas câmaras foi aberto pela secretaria para substituição e modernização de toda a rede. Além disso, geradores já foram locados e serão instalados nessa quarta-feira (17) para manter a rede de frio central em funcionamento durante 24h.

Por fim e mais importante, a Secretaria Municipal de Saúde informa que preza pela transparência em seus procedimentos e por isso, encaminhou cópias das documentações técnicas ao Ministério Público Estadual e a Polícia Civil para que investigações complementares respaldem tomadas de decisões administrativas e, se preciso criminal.

Neste ano, a Prefeitura modernizou o procedimento de cadastramento e agendamento de imunizações e, por conta disso, 12.124 pessoas foram vacinadas contra a COVID em Vila Velha. Nessa quarta-feira (17) passa a cadastrar e imunizar idosos a partir de 85 anos, bem como mantém os demais grupos prioritários, como preconizam o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde.

A prefeitura também divulgou um vídeo com a secretária de Saúde do Município, Cátia Lisboa, esclarecendo a situação. Veja abaixo: