Câncer de boca: quinto tipo de tumor maligno mais comum entre homens brasileiros

Saúde

Câncer de boca: quinto tipo de tumor maligno mais comum entre homens brasileiros

Tabagismo aumenta em até oito vezes a chance de um indivíduo ter câncer na cavidade oral

Foto: Divulgação

Evitar o uso do tabaco de todo o tipo e a ingestão de bebidas alcoólicas são cruciais para prevenir o quinto tipo de tumor maligno mais comum entre os homens brasileiros: o câncer de boca.

O cirurgião de cabeça e pescoço do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), Ullyanov Bezerra Toscano, destaca que a ocorrência do câncer que afeta os lábios e o interior da cavidade oral está diretamente relacionada a dois hábitos que podem ser modificados: o tabagismo e o etilismo.

“O tabagismo aumenta em até oito vezes a chance de um indivíduo ter câncer na cavidade oral em comparação com um indivíduo que não fuma. Quando há sinergismo entre tabagismo e etilismo, a chance pode ser até 20 vezes maior”, alerta o especialista.

A estimativa de novos casos de câncer de boca para 2018, segundo o INCA, é de 14,7 mil, sendo 11,2 mil homens e 3,5 mil mulheres. Estudos da área também mostram que a incidência deste tipo de câncer é maior nos homens acima de 40 anos.

“Ainda existem mais homens que são fumantes e fazem uso rotineiro de bebidas, mas a doença tem sido cada vez mais comum entre a população do sexo feminino”, relata Ullyanov. “Nos últimos 20 anos, o avanço do tabagismo entre as mulheres faz com que ocorra maior incidência de câncer de boca também entre elas”, justifica.

Como prevenir o câncer de boca?

Além do uso de tabaco e álcool, são fatores que aumentam a probabilidade de ocorrência do câncer de boca a má higiene bucal, dentição malcuidada e desnutrição – relacionada principalmente à pouca ingestão de verduras e legumes.

“Além de suspender o tabagismo e o etilismo, favorece a prevenção do câncer de boca ter uma higiene bucal regular e ir com frequência ao dentista para fazer limpeza, tratamento de cáries ou extração de dentes que estão em traumatismo. Idosos devem estar atentos a correção de próteses mal adaptadas, pois traumas constantes podem provocar lesões críticas na cavidade oral”, orienta o cirurgião do INCA.

* Por: Saúde Brasil- Via Ministério da Saúde