• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Contágio por superfungo que leva à morte pode ser prevenido com reforço da imunidade

Saúde

Contágio por superfungo que leva à morte pode ser prevenido com reforço da imunidade

Vacinas, alimentação, atividades físicas e hormônio são maneiras de fortalecer a imunidade do organismo e prevenir a contaminação.

Larissa Agnez

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

Neste fim de semana o Folha Vitória Saúde alertou para o fungo Candida Auris, que é considerado um parasita grave, que tem preocupado especialistas e organizações de saúde de todo o mundo devido a sua resistência à maioria dos remédios existentes. O superfungo ataca diversas partes do corpo, como a corrente sanguínea e vias respiratórias, acometendo, principalmente, pessoas com sistema imune debilitado. 

Como então poderíamos tornar o organismo mais forte? 

Estudos na área da nutrição corroboram parte do conhecimento popular: de fato, alguns hábitos alimentares têm total influência sob a ação do nosso sistema imunológico. De acordo com a nutricionista Jéssica Freitas, a alimentação é capaz de fortalecer a imunidade. “Através da oferta de nutrientes essenciais é possível fortalecer a função imune e beneficiar a saúde como um todo". 

Frutas cítricas são as mais indicadas: laranja; kiwi; morango; acerola; limão e tangerina. Também é aconselhado comer gengibre; iogurte e leite fermentado. 

Para o nutrólogo J Bussade existem duas soluções: a primeira, é dar condições ao organismo para que este funcione através de suas defesas naturais, estimulando o sistema nervoso que fará com que toda a energia vital do organismo fique equilibrada. Esta defesa natural se obtém através de hábitos de vida mais saudáveis, de higiene, de alimentação natural e exercícios físicos.

Uma outra solução está nos liberadores do hormônio do crescimento. " O sistema imune é como um exército de células sanguíneas brancas sempre em prontidão, denominadas células T, e estão sob o comando da glândula do Timo, que recebem ordens superiores sobre quando e onde devem atacar e quais os anticorpos que são seus companheiros de luta, denominadas de células B que devem produzir", explicou Bussade.

À medida que envelhecemos, este sistema vai deixando de funcionar, devido à diminuição do tamanho e da força do Timo. "Foi descoberto que esta falta de funcionamento, provavelmente, seja motivada pela redução do hormônio de crescimento, que é produzido pela glândula pituitária. Esta glândula controla todas as outras glândulas de secreção interna, sendo necessária para o bom funcionamento do Timo e sistema imune. A produção do GH cessa completamente a partir dos 45 anos de idade, porém, quando oferecemos uma dieta suplementar à base de aminoácidos, sais minerais e oligoelementos, além de algumas enzimas, a produção do mesmo pode atingir a de um adulto jovem", disse o nutrólogo. 

O que torna o sistema imune fraco? 

Defesas naturais do organismo são afetadas por vários problemas tais como má qualidade de vida, devido à alterações no sono, estresse físico e emocional, má alimentação, alterações hormonais, vícios, conduta moral, trabalho em demasia e até mesmo maus sentimentos e insatisfações. 

Alerta vacina 

De acordo com a infectologista Vitória Rúbia Miossi, as vacinas agem estimulando o sistema imunológico a gerar anticorpos para combaterem doenças infecciosas, garantindo a imunidade. "As vacinas protegem o corpo humano contra vírus e bactérias e são um dos meios mais eficientes de prevenção de doenças", destaca a médica.

Sistema protetor

Dentre as diversas funções orgânicas desempenhadas pelo nosso corpo, o sistema imunológico é uma das estruturas mais importantes no processo de preservação da vida. Sua principal função é reconhecer agentes agressores e defender o organismo contra suas ações. Sem ele, estamos à mercê de vírus, bactérias, micróbios e outros microrganismos capazes de comprometer nossa saúde.