• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Armas de fogo são um perigo também para a audição

Saúde

Armas de fogo são um perigo também para a audição

Som produzido pelo disparo de uma arma pode chegar a 140 decibéis.

Foto: Divulgação
Perda da audição compromete a qualidade de vida do indivíduo pois prejudica também sua capacidade de se relacionar em sociedade.

Você sabia que a perda de audição devido à exposição contínua a disparos de armas de fogo é um problema frequente para os profissionais da segurança pública? Para se ter uma noção do quão alto e prejudicial o som do disparo de uma arma pode ser ao ouvido humano, o barulho de uma turbina de avião ou de uma caixa de som em um show de rock alcança aproximadamente 130 decibéis, enquanto o som produzido pelo disparo de uma arma pode chegar a 140 decibéis.

A situação atinge também os membros das Forças Armadas e todos aqueles que participam de treinamentos de tiro. A perda de audição, no entanto, ainda não é preocupação dos profissionais da área de segurança. O resultado da negligência com a saúde auditiva só é percebido ao longo do tempo. A maioria só chega a admitir o problema quando está mais velho ou já está na reserva, quando o deficit auditivo pode ser ainda maior.

"A perda auditiva induzida por ruído, uma exposição frequente a ruídos acima de 80 decibéis, é um problema real enfrentado por muitos trabalhadores e militares. São comuns os casos de pessoas que desencadearam perda auditiva por exposição ao ruído intenso ou por trauma acústico", revela a fonoaudióloga Isabela Papera. 

A perda da audição compromete a qualidade de vida do indivíduo pois prejudica também sua capacidade de se relacionar em sociedade. Além disso, estresse, dores de cabeça, depressão e perda de atenção são outros sintomas frequentes que acometem os deficientes auditivos.

A fonoaudióloga, que é especialista em audiologia, recomenda o uso frequente de protetores nos ouvidos, que reduzem o volume excessivo, para quem convive em ambientes barulhentos ou, no caso de policiais, estão expostos aos fortes ruídos que podem causar, inclusive, trauma acústico - principalmente durante os treinamentos de tiro. 

“Os protetores auriculares ajudam muito a diminuir o nível de ruído que entra pelos ouvidos e seu uso no dia a dia evita a evolução da perda de audição. Porém, caso a pessoa já esteja com a audição comprometida, existem atualmente aparelhos auditivos modernos e discretos, com som digital, que resgatam os sons, devolvendo a autoestima, a alegria e o bom convívio com parentes e amigos”, conclui a médica.