Mito ou verdade: banho quente faz mal para a pele?

Saúde

Mito ou verdade: banho quente faz mal para a pele?

Dermatologista comenta que ninguém é obrigado a tomar banho frio no inverno, mas alerta sobre a temperatura da água

Foto: Divulgação

O inverno está chegando e cada vez a temperatura da água que tomamos banho fica mais quente, não é mesmo? Afinal, o banho quente relaxa, traz conforto, mas prejudica a pele! Sim, é verdade. Segundo a dermatologista Irene Baldi, a água quente altera o equilíbrio da pele e afeta a barreira cutânea, que é uma espécie de "capa" que protege a pele de problemas como a proliferação de bactérias, infecções e desidratação.

“Como resultado, a pele fica desidratada. Assim, a derme entende que precisa produzir ainda mais óleo, o que pode causar uma dilatação nos poros”, diz a médica. Segundo ela, quem tem dermatite (e já tem uma alteração na barreira cutânea) deve fugir da água quente porque o problema também se agrava com a temperatura alta.

“Enquanto isso, a água fria tem o poder da vasoconstrição, que ajuda a diminuir a vermelhidão e irritação da pele e o tamanho dos poros. As baixas temperaturas também ativam a circulação sanguínea, o que dá um viço natural à sua pele”, recomenda a médica.

A dermatologista Karina Mazzini concorda que ninguém é obrigado a tomar banho frio no inverno, porém não precisa ser tão quente, por conta de diversos fatores: "Usar água muito quente no corpo e rosto prejudica a hidratação e retira a proteção natural da pele. A água quente resseca a pele, pois afeta a camada manto-lipítica, que é responsável pela textura suave. Pode causar dermatites, dependendo do grau de ressecamento. Nos cabelos, a água quente aumenta a produção de glândula sebáceas, deixando os fios oleosos e causando caspa. Já no rosto, abre os poros e também o deixa oleoso", afirma Karina.

Assim, evite o banho muito quente! "Basta usar a temperatura mais amena do chuveiro, ao invés do ‘inverno’ no chuveiro, utilize a opção ‘verão', sugere Karina.