De bolinhas explosivas a vibradores: sexóloga dá dicas para esquentar o Dia dos Namorados

Saúde

De bolinhas explosivas a vibradores: sexóloga dá dicas para esquentar o Dia dos Namorados

Para estimular o prazer por meio do paladar, especialista indica produtos específicos, com sabor, que podem ser usados tanto no sexo oral quanto na penetração

Bianca Santana Vailant

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

Para esquentar o dia dos namorados, homens e mulheres investem tempo, dinheiro e criatividade na hora de surpreender seus parceiros. Jantares românticos, presentes, lingeries, a lista de itens que compõem a preparação para o tão esperado dia 12 de junho é extensa. 

Além de preparar o ambiente, os casais costumam focar em formas de  apimentar a noite e desfrutar de novas sensações na hora do sexo. Mas segundo a sexóloga, terapeuta sexual de casais, Virgínia Pelles, a hora H requer alguns cuidados. 

O sexo desperta sensações em todos os sentidos do corpo, mas para quem deseja explorar o paladar, a dica é evitar envolver alimentos - principalmente aqueles à base de açúcar - na relação. 

"Deve-se evitar açúcar, produtos como leite condensado, chantilly e vinho, por exemplo. Esses alimentos não podem ser usados porque a vulva de algumas mulheres, quando entra em contato com esses produtos, fica mais suscetível à cândida", explicou a sexóloga. 

Para estimular o prazer por meio do paladar, a especialista indica produtos específicos, com sabor, que podem ser usados tanto no sexo oral quanto na penetração. "Temos uma série de produtos - os cosméticos sensuais - que servem para essa finalidade, para dar sabor e aumentar o prazer na hora do sexo", explicou. 

De acordo com Virgínia, além de sabores, os produtos exploram sensações como frio, calor e até mesmo vibrações (os chamados vibradores líquidos). 

Bolinhas explosivas exigem cuidados

Um produto muito popular no mercado de itens sexuais é a bolinha explosiva. As bolinhas são cápsulas gelatinosas de óleos essenciais com os mais delicados perfumes e que exploram as sensações de quente e frio, por exemplo. 

De acordo com os fabricantes, o produto se dissolve com a umidade e o calor, perfumam e aquecem - ou esfriam - e podem ser estouradas no corpo e utilizadas como óleo para massagem. 

No entanto, muitas pessoas utilizam as bolinhas de forma equivocada, introduzindo-as no canal vaginal. Segundo a sexóloga, esta é uma prática que pode trazer muitos riscos para a saúde. 

"As bolinhas explosivas são muito conhecidas. As pessoas colocam no canal vaginal, ela tem uma cápsula gelatinosa, que muitas vezes estoura e cola na parede do útero. Isso pode causar vários problemas, como infecções e cândida. O ideal é não utilizar essas bolinhas penetrando no canal vaginal. Elas podem ser usadas para sexo oral ou para fazer uma massagem", explicou. 

No caso das pessoas que insistem em introduzir o produto no canal, é importante garantir que todo o produto seja devidamente retirado. "Quem faz questão de usar a bolinha dentro do canal vaginal, precisa ficar atento e retirar a cápsula depois do sexo", concluiu. 

Striptease pode ser uma estratégia 

Para aqueles que não querem investir em produtos, uma alternativa é explorar as sensações por meio da visão e do tato. É nessa hora que entram em cena os famosos stripteases. 

"Além dessas técnicas têm o famoso striptease, que ajuda a inovar. Tem várias modalidades diferentes. É sensacional esse movimento porque traz o resgate da autoestima, autoconfiança, empoderamento. O homem e a mulher se sentem realizados", disse a sexóloga. 

Para compor o momento, a terapeuta de casais afirma que arrumar mesas para um jantar e escrever cartas românticas também pode ser uma forma de melhorar relações que estão mais frias. 

"Fazer um jantar, uma mesinha, sair para jantar, é importante ter um movimento. Se as coisas não andam muito bem entre o casal, eu sugiro que escrevam uma carta, relembrando os bons momentos, tenho certeza que a noite de amor vai ser muito mais intensa depois disso", finalizou.