Exercício ajuda na prevenção e no tratamento da dor nas costas

Saúde

Exercício ajuda na prevenção e no tratamento da dor nas costas

Na maioria dos casos, a dor na coluna está relacionada à má postura e a contraturas musculares de rápida resolução. O home office e o aumento do sedentarismo na pandemia do coronavírus agravaram o quadro

Foto: Freepik

Você sofre com dor na coluna? Se a resposta é "sim", você está na lista dos quase 30 milhões de adultos acometidos por doença crônica nas costas, segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde (PNS).

Na maioria dos casos, a dor na coluna está relacionada à má postura e a contraturas musculares de rápida resolução. O home office e o aumento do sedentarismo na pandemia do coronavírus agravaram o quadro.

Segundo estudo realizado em parceria entre Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fiocruz e Unicamp, no ano passado, com 44.062 indivíduos, 54% dos entrevistados que já sofriam com problemas na coluna relataram aumento na dor e 40% dos que não tinham queixas afirmaram que passaram a sentir dores em 2020.

Fortalecimento da musculatura

Um programa regular de alongamentos e exercícios físicos é determinante na hora de prevenir a doença. O médico ortopedista Lourimar Tolêdo destaca que a atividade física ajuda a melhorar a musculatura das costas, o que pode evitar dores na coluna.

"A atividade física regular ajuda a manter a densidade óssea à medida que envelhecemos e a reduzir a dor nas costas. A melhora da musculatura abdominal e das costas, responsáveis pela sustentação da coluna, ajuda a prevenir dores musculares. A educação física pode contribuir de forma importante na prevenção de síndromes dolorosas na coluna por proporcionar, através de programas de força e flexibilidade, maior conscientização da postura e melhora da musculatura abdominal e das costas, responsáveis pela sustentação da coluna”, destacou o especialista.

Vida ativa e saúde

O médico ressaltou que, na elaboração de um programa de exercícios com fins de proteção à coluna, é importante fortalecer e alongar os membros superiores e inferiores, dada a sua colaboração para levantar, conduzir pesos, diminuindo a utilização da força na coluna. 

“À medida que o músculo é progressivamente sobrecarregado, através de exercícios com pesos devidamente orientados e controlados, a força e resistência à fadiga, ou ambas, irão aumentar, sendo o risco de lesões diminuído. Mas de nada adianta exercitar-se quando a postura não é observada nas atividades durante todo o dia, inclusive no dormir”.

Em atitude oposta ao sedentarismo, ele alerta que a atividade física esportiva com fins competitivos, executada de maneira imprópria, em excesso e sem supervisão oferece riscos de dores e doenças nas costas associadas com esforços musculares acentuados e repetitivos. Ou seja, a atividade praticada sem orientação adequada pode representar problemas.

“Exercício físico em excesso ou com a postura inadequada pode causar dores musculares, predispor a hérnia de disco, artrose, discopatia e até fraturas”, ponderou Lourimar Tolêdo.