• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Índice de letalidade da Covid-19 em Guarapari se aproxima dos 5%

CORONAVÍRUS

Saúde

Índice de letalidade da Covid-19 em Guarapari se aproxima dos 5%

Dos 1.117 casos confirmados na cidade, 50 chegaram ao óbito

Foto: Reprodução/R7

Com 1.117 casos confirmados na noite de ontem (06), até o momento, Guarapari tem 50 óbitos por coronavírus. O número registra uma porcentagem de 4,8% de letalidade pela doença no município e classifica a cidade como risco alto. No Espírito Santo, dos 54.547 casos, 1.836 chegaram ao estado de óbito, somando um percentual de 3,37%.

Os dados estão divulgados no site oficial do Governo do Espírito Santo. Dentre os bairros registrados com óbito em Guarapari, a Praia do Morro lidera o gráfico, com cinco mortes. Em seguida, o Centro registra quatro. Os bairros Adalberto, Itapebuçu, Nossa Senhora da Conceição e Olaria, apresentam três registros. Ipiranga, Jardim Santa Rosa, Kubtschek, Muquiçaba, Portal e Santa Mônica, possuem dois.

Com um óbito registrado, estão os bairros Aeroporto, Bela Vista, Condados, Coroado, Independência, Jabaraí, Lagoa Funda, Nova Guarapari, Parque Areia Preta, Paturá, Perocão, Pontal Santa Mônica, Praia do Riacho, São Judas Tadeu, Samambaia, Setiba e Sol Nascente.

A Prefeitura Municipal de Guarapari foi questionada se alguma medida será tomada, para controlar o crescimento de óbitos, e se há possibilidade de lockdown na cidade. Em nota, a Secretaria de Comunicação respondeu: “Como parte dos pacientes são assintomáticos e muitos não procuram atendimento, não há como prevê um aumento futuro dos casos. Porém, devem permanecer as medidas de prevenção contínua para todos. Segundo o Governo do Estado, para um município adotar o sistema de lockdown ele deve estar classificado como risco extremo, no mapa de classificação de risco estadual, e quando houver a ocupação de 91% do número de leitos de UTI.” No momento, a cidade está classificada como risco alto.

Texto: Larissa Castro