De alucinações a disfunção sexual: sequelas pós-covid podem deixar mais de 200 sintomas

Saúde

De alucinações a disfunção sexual: sequelas pós-covid podem deixar mais de 200 sintomas

No maior estudo sobre o tema, pesquisadores descobriram uma série de problemas de saúde que persistem após a infecção

Foto: Sumaia Villela/Agência Brasil

O paciente se recupera, mas enfrenta uma lista extensa de sequelas pós-covid. Um estudo feito por pesquisadores de Londres identificou mais de 200 sintomas que podem acompanhar pacientes de covid-19 por meses após a fase aguda da doença. Foram monitorarados 3.762 indivíduos em 56 países. 

A presença do coronavírus no organismo dura apenas alguns dias, mas a reação imunológica à infecção — algo que varia de pessoa para pessoa — pode causar uma série de danos a órgãos e tecidos.

Do total de participantes do estudo, 3.608 (96%) relataram sintomas além de 90 dias. Destes, 2.454 (65%) apresentaram sintomas por pelo menos 180 dias. Apenas 233 se recuperaram completamente. 

Veja também: Inteligência artificial possibilita diagnósticos mais precisos no pós-covid

Veja alguns dos sintomas identificados na pesquisa:

- Alucinações visuais;

- Tremores;

- Coceira na pele;

- Alterações no ciclo menstrual

- Disfunção sexual;

- Palpitações cardíacas;

- Problemas de controle da bexiga;

- Herpes zoster

- Perda de memória;

- Visão turva; 

- Diarreia;

- Zumbido;

Sintomas mais comuns

Os pesquisadores salientam que 66 sintomas foram perceptíveis por seis meses, sendo os mais frequentes:

- Cansaço;

- Mal-estar pós-esforço (físico ou mental);

- Disfunção cognitiva (principalmente, dificuldade para pensar com clareza, descrita como névoa cerebral);

Leia mais: Um em cada três curados de covid tem sequelas psiquiátricas; médicos do ES já tratam pacientes

Covid-19 pode ter impacto na produtividade da população

A autora sênior do estudo realizado no Imperial College London, Athena Akrami, ressalta o desafio que a pandemia cria para populações economicamente ativas, tendo em vista que sequelas cognitivas têm potencial de reduzir a produtividade desses indivíduos.

"Memória e disfunção cognitiva, experimentadas por mais de 85% dos entrevistados, foram os sintomas neurológicos mais difundidos e persistentes, igualmente comuns em todas as idades e com impacto substancial no trabalho."

Os novos sintomas surgem em um cenário em que sequelas respiratórias e cardiovasculares já estão bem-estabelecidas para os médicos.

Todavia, Athena alerta para pessoas que possam não ter sido identificadas com a covid-19 longa por apresentarem outros sintomas.

"É provável que haja dezenas de milhares de pacientes com covid longa sofrendo em silêncio, sem ter certeza de que seus sintomas estão ligados à covid-19."

*Com informações do Portal R7

Leia Também: Coronavírus deixa sequelas? Veja o que a população do ES pensa sobre o tema