Entenda por que dormir mal influencia na saúde do coração

Saúde

Entenda por que dormir mal influencia na saúde do coração

O cardiologista André Brandão explica que os homens são, em geral, duas vezes mais propensos a desenvolver a doença do que as mulheres

Bianca Santana Vailant

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação Arquivo Pessoal

Você sabia que dormir mal pode interferir diretamente na saúde do coração? Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de sono ruim, e aproximadamente 30% da população adulta sofre de apneia do sono. 

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, a maior parte dos pacientes, entre 85% e 90%, convive com a doença sem receber o diagnóstico e, por isso, continua sem tratamento.

“A chamada Apneia Obstrutiva do Sono é uma doença respiratória caracterizada por interrupções breves e repetidas da respiração (com duração de pelo menos 10 segundos, em uma frequência maior que 5 eventos por hora de sono). Não se trata de um simples ronco, pois além dos ruídos traz micro despertares seguidos de engasgos. E assim como no ronco, muitas vezes a pessoa nem percebe o que está acontecendo”, explica André Brandão, cardiologista pós graduado em Medicina do Sono.

Veja mais: Dormir mal pode prejudicar a eficácia da vacina contra covid-19

Entenda quais são os reflexos de noites mal dormidas na saúde do coração

O cardiologista André Brandão explica que, entre os problemas que a apneia do sono apresenta, está o fato de diminuir a concentração de oxigênio no sangue

“Com isso, o ritmo dos batimentos cardíacos é elevado, estimulando a contração dos vasos sanguíneos, o que torna o problema um fator de risco para pressão alta e arritmia cardíaca”, completa André.

Quem sofre com a doença, tem sua qualidade de vida muito diminuída, pois a má qualidade do sono faz com que a pessoa se sinta muito cansada e pouco produtiva durante o dia. 

“Os homens, são em geral, duas vezes mais propensos a desenvolver a doença do que as mulheres, e a partir dos 50 anos o risco é ainda maior. Já as mulheres pós menopausas equiparam aos homens na propensão à doença”, continua o especialista.

O médico explicou ainda que, para diagnosticar a doença, além do relato das pessoas que convivem com os portadores da apneia obstrutiva do sono e avaliação médica, são necessários exames complementares para mapear o comportamento respiratório durante o sono.

Leia também: Quer dormir melhor? Veja 5 dicas que vão te ajudar a ter boas noites de sono

Veja abaixo 3 motivos para priorizar um sono de qualidade:

1- O sono é essencial para qualquer pessoa. No período em que dormimos, nosso corpo descansa e recarrega as energias para poder conseguir enfrentar com força o dia seguinte.

2- A falta de sono cria uma situação de estresse crônico, onde descargas de sinalizadores semelhantes à adrenalina fazem taquicardia como resposta à falta de oxigênio causada na apneia do sono. 

Os microdespertares noturnos e os períodos de falta de oxigênio causam aumento da pressão arterial, sendo fator de risco para a saúde do coração.

3- O distúrbio do sono afeta diretamente o funcionamento do coração. A desordem causada no órgão pode desenvolver doenças cardíacas como a aterosclerose, hipertensão arterial, infarto, insuficiência cardíaca, arritmias e entre outras.