• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Alimentos termogênicos interferem na saciedade e queima de gordura

  • COMPARTILHE
Saúde

Alimentos termogênicos interferem na saciedade e queima de gordura

As nutricionistas Juliana Meireles, do Hospital Sírio-Libanês, e Weruska Barrios, da BP - A Beneficência Portuguesa, orientam associar dieta a exercícios

Foto: R7/ Site de Beleza e Moda

Giovanna Borielo, do R7

Os alimentos termogênicos são aqueles que, em sua composição, possuem princípios ativos, chamados de fitoquímicos, substâncias que realizam a termogênese, ou seja, atuam no sistema nervoso central, aumentando a temperatura do corpo, acelerando o metabolismo e estimulando o gasto de energia. Alguns desses alimentos também provocam um aumento na sensação de saciedade. Segundo a nutricionista Weruska Barrios, da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, alguns desses fitoquímicos, além de atuar no aumento do metabolismo, atuam na queima de gordura e a transformam em energia.

A nutricionista Juliana Meireles, do Hospital Sírio Libanês, ressalta que todos os alimentos demandam gasto energético para serem digeridos, mas alguns se destacam, recebendo a classificação de termogênicos. Juliana afirma que, embora haja comprovação científica, ainda são necessários estudos para verificar a quantidade necessária para a ativação dessas funções. Entre os termogênicos mais conhecidos estão o chá verde, o café, o gengibre, pimenta vermelha e canela.

Vale ressaltar que, para que tenham efeito, esses alimentos devem ser consumidos diariamente. Sua ação é limitada, aumentando 5% o gasto calórico quando ingeridas. Weruska lembra que esses alimentos só apresentam resultados se associados a exercícios físicos, dieta equilibrada e saúde emocional em dia. Além da termogênese, os alimentos podem ser ricos em fibras e nutrientes que melhoram o sistema cardiovascular e digestivo.

Os benefícios incluem a manutenção do peso e a aderência a bons hábitos alimentares. Porém, quando consumidos em excesso, esses alimentos podem causar desconforto gástrico e aumento de suor. O consumo excessivo prolongado também pode causar gastrite crônica, úlcera no aparelho digestivo e danos no fígado, denominados hepatoxidade. Termogênicos ricos em cafeína, consumidos após às 17h podem afetar o sono.

O chá verde é rico em polifenóis, substâncias químicas que possuem ação antioxidante e que ajudam a dar mais energia ao corpo, sendo a maior parte composta por catequinas, substância de forte ação antioxidante, além de rico em cafeína. Estudos demonstram que o extrato de chá verde aumenta o consumo de energia em 4% e promove a oxidação de gordura devido ao seu efeito termogênico, segundo as especialistas. Contudo, as pesquisas ainda são inconclusivas a respeito da dose necessária para se obter esse efeito.

O café é um alimento estimulante, rico em cafeína que, além do efeito termogênico, traz aumento da disposição e energia, diminuição do cansaço e melhora do rendimento no exercício físico. Estudos relacionam o consumo de cafeína com o aumento do metabolismo de 5% a 8% durante as primeiras 24 horas de ingestão. A dose necessária para obter esse efeito é variável, não sendo estabelecida uma quantidade exata, de acordo com as nutricionistas.

O gengibre apresenta alguns componentes, como o gingerol, que poderiam ocasionar aumento da termogênese, entretanto, esse efeito ainda não foi comprovado em humanos - apenas em camundongos. Juliana afirma que são necessários mais estudos para avaliar os efeitos do gengibre sobre a termogênese.

Juliana afirma que a pimenta vermelha é rica em capsaicina, que está relacionada ao aumento da quebra de gorduras. A pimenta aumenta a salivação, estimula a secreção gástrica e a movimentação intestinal. Alguns estudos mostram redução na ingestão alimentar e aumento do gasto energético, porém mais estudos são necessários para validar esse efeito.

Pesquisas com animais demonstraram o benefício da canela na melhora da sensibilidade à insulina, redução da glicemia de jejum, do colesterol ruim (LDL). Embora haja comprovação desses benefícios em animais, Juliana afirma que são necessários mais estudos para comprovar o efeito em humanos.

Entre as pessoas que têm contraindicação a esses alimentos estão hipertensos e cardiopatas. Por serem alimentos que alteram o metabolismo, gestantes e lactantes devem evitar o consumo. Pessoas que sejam portadoras de outras condições devem alertar o médico ou nutricionista para que seja administrada a quantidade ideal.

Após consulta com nutricionista para avaliar a recomendação de quantidade e frequência, os alimentos podem ser incluídos na alimentação como temperos, chás e infusões de ervas e temperos para águas aromatizadas. Weruska afirma que alimentos como alecrim, pimentão, aipo, hortelã, soja, pimenta, brócolis, chá verde, canela e gengibre são termogênicos e podem fazer parte do cardápio.

Como maneira de inclusão, Weruska recomenda o consumo de soja com saladas ou bebidas fermentadas à base do grão, polvilhar curry ou cúrcuma na salada e preferir o uso de especiarias sem assar ou cozinhas, para que não percam as propriedades nutricionais.