• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Baixa adesão à campanha de vacinação preocupa em VNI

  • COMPARTILHE
Saúde

Baixa adesão à campanha de vacinação preocupa em VNI

Na cidade, ação de imunização contra o sarampo e a poliomielite segue até 14 de setembro


A campanha de vacinação teve grandes dificuldades em várias cidades do país inteiro em relação a vacinar as crianças, que precisavam ser lavadas ao posto de saúde mais próximo pelos pais. Em Venda Nova do Imigrante, a campanha contra o sarampo e a pólio está quase chegando ao fim e teve um número baixo de procura pelas doses, mesmo com a divulgação e mobilização nas unidades de saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde foi um dos órgãos que teve o trabalho intensificado com a participação de agentes de saúde para conscientizar pais e responsáveis. O secretário da pasta, Tadeu Sossai, acredita que a baixa procura dos pais em levar as crianças até o posto de saúde pode ser porque eles não vivenciaram essas doenças. “Quem nasceu nas décadas de 50 a 70, viu de perto doenças como sarampo e pólio. Depois, começou a haver vacinação maciça e essas doenças desapareceram. Com isso, as novas gerações podem acabar acreditando que elas não voltam ou que não são mais um risco”, comenta.

Os postos de saúde realizaram o Dia D contra as duas doenças no dia 18 do mês passado e trabalharam em horário estendido. Quem mora em comunidades do interior tinham direito a transporte gratuito até os locais de vacinação. Mesmo com os auxílios, poucas crianças foram levadas até às unidades de saúde para imunização quando são comparadas com o público-alvo total.

Vacinação em Venda Nova do Imigrante

Mesmo com a pouca procura, os grupos de crianças de três a quatro anos já registraram mais de 95% de imunização enquanto as que têm até um ano atingem 70%, tanto para pólio quanto para o sarampo. A Secretaria Municipal de Saúde ainda quer vacinar todas as crianças até o final da campanha, que vai até dia 14 de setembro.

A data da finalização da campanha foi prorrogada em todo o Brasil pelo Ministério da Saúde. A média do alcance vacinal, segundo a Agência Brasil, está em 88% e apenas sete estados brasileiros atingiram os 95% do público-alvo vacinados. Como forma de auxiliar a conscientização sobre a campanha de vacinação, o Ministério já lançou um alerta sobre o risco de acreditar nas falsas notícias que estão sendo publicadas.