• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Vaquinha: Mãe de Guarapari pede ajuda para confirmar diagnóstico e tratar o filho com microcefalia em MG

Saúde

Vaquinha: Mãe de Guarapari pede ajuda para confirmar diagnóstico e tratar o filho com microcefalia em MG

Leidiane precisa de ajuda de custo para uma viagem a MG onde fará novos exames em Arthur

Aline Couto

Redação Folha da Cidade
Foto: arquivo pessoal

Uma mãe, moradora do bairro Jabaraí em Guarapari, criou uma vaquinha virtual para arrecadar valores que irão ajudá-la em uma viagem a Belo Horizonte, Minas Gerais – MG. Leidiane de Jesus Luttig busca confirmar o diagnóstico do filho de 6 anos, Arthur Luttig Gama, de microcefalia, paralisia cerebral e epilepsia.

A batalha de Leidiane acontece desde o nascimento do filho. “Arthur foi um bebê prematuro, nascido de 7 meses, e precisou ficar 1 mês na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) para observação”, contou a mãe que apesar do susto pôde levar o filho para casa sem sequelas.

Quando o pequeno tinha 1 ano e 7 meses, a história foi diferente. Leidiane relatou que uma noite, sem qualquer sintoma anterior, Arthur começou a sentir falta de ar e foi levado ao hospital. “Enquanto aguardávamos atendimento, meu bebê teve a primeira convulsão. Logo em seguida, parada cardíaca, respiratória e 40 minutos desacordado. Após reanimado, ficou três dias em coma”.

Quando ele acordou, de acordo com a mãe, já estava diferente, parado e quieto. “Ele ficou 30 dias no hospital fazendo exames e acharam três manchas no cérebro devido à falta de oxigênio pelo tempo que ficou desacordado”.

Ela ainda explicou que os médicos atribuíram à atual condição do filho a uma laringite sem sintomas, que apesar de ser rara, é existente. “Como ele não apresentou nada, febre, falta de apetite, dor na garganta ou qualquer outro sintoma, não tínhamos como saber antes e por isso ele parou de respirar do nada. Hoje, Arthur não anda nem fala e se locomove através de cadeira de rodas”.

Foto: arquivo pessoal

Por conta de toda a situação, a mãe busca confirmação do diagnóstico e um tratamento específico, que melhore a qualidade de vida do filho, no Hospital Sara Kubitschek em Belo Horizonte. “Tive conhecimento de um tratamento mais específico para a condição dele. E preciso de ajuda para essa viagem, com hospedagem, alimentação e condução. Já comprei as passagens de ida e volta, mas não sei quanto tempo precisarei ficar por lá. Por isso criei uma vaquinha virtual para quem puder me ajudar”.

A viagem está programada para 21 de novembro e a consulta marcada para o dia 22. Leidiane calcula que seja necessário arrecadar em torno de R$ 4 mil e quem puder e quiser ajudar com qualquer quantia, basta entrar no link http://vaka.me/765406.