• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Familiares de irmãos mortos em Linhares realizam protesto contra soltura de Juliana Sales em Vitória

Morte irmãos carbonizados

Geral

Familiares de irmãos mortos em Linhares realizam protesto contra soltura de Juliana Sales em Vitória

Os motoristas que seguem no sentido Segunda Ponte x Centro de Vitória encontram lentidão

Foto: Iures Wagmaker

Familiares e amigos do menino Kauã Sales Butkovsky, morto em Linhares junto com o irmão Joaquim Alves, realizam uma manifestação na manhã desta quinta-feira (08), em frente ao Palácio Anchieta, em Vitória. Eles são contra a decisão da justiça que concedeu liberdade provisória a Juliana Pereira Sales Alves, mãe das crianças. 

>> Após liberdade de Juliana, defesa vai entrar com pedido de Habeas Corpus de Georgeval

Eles atearam fogo em pneus para impedir a passagem dos veículos que seguem no sentido Segunda Ponte x Centro de Vitória. Apenas a faixa da direita está liberada. Os manifestantes estão justificando o motivo do protesto para os motoristas que passam pelo local.

Foto: Andressa Balbi
Os motoristas encontram lentidão no trânsito 

Juliana Sales deixa presídio

Juliana, esposa de Georgeval e mãe dos irmãos mortos carbonizados Joaquim, de 3 anos, e Kauã, de 6, que teve o pedido de liberdade provisória aceito pela Justiça, deixou o Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC) na madrugada desta quinta-feira (08). A Secretaria de Justiça informou na manhã desta quinta que Juliana foi liberada por volta de 3 horas.

Justiça concede liberdade provisória

O pedido de revogação da prisão foi feito pela defesa de Juliana, durante audiência realizada no dia 23 de outubro, em Linhares, com base nos depoimentos e nas provas produzidas. A decisão foi proferida na quarta-feira (07), pelo juiz responsável pelo caso, André Bijos Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares. 

Crime

O crime aconteceu no dia 21 de abril. Inicialmente, Georgeval Alves, que é pai e padrasto dos meninos, disse que ele morreram em um incêndio que atingiu apenas o quarto onde as vítimas dormiam.

Mas, segundo a polícia, a versão dele não estava de acordo com os fatos apurados durante as investigações. No dia do incêndio, a mãe disse que estava em um congresso em Minas Gerais com o filho mais novo do casal. No enterro dos filhos, ela estava acompanhada de parentes e da polícia, já que tinha solicitado escolta por segurança.