Carioca e curitibana encaram chuva, ventos fortes, 256 curvas para vencerem a Mizuno Uphill Marathon

Mizuno Uphill Marathon1

Fotos: Manuel Martins/Divulgação Mizuno

Encarar um percurso formado por 256 curvas e 1.418 metros de altitude já é complicado em qualquer condição climática. Com ventos fortes e chuva intensa então… só para os #ninjarunners! Neste domingo (19), 300 corredores de alta performance do Brasil participaram da segunda edição da Mizuno Uphill Marathon na cidade catarinense de Treviso.

Mizuno Uphill Marathon2O carioca Roberto Tadao, conhecido como Dum, e a curitibana Letícia Saltori foram os grandes vencedores da prova de 42km, com os tempos de 3h13m30s e 3h46m29s, respectivamente. Como prêmio, os dois ganharam inscrição, passagem e hospedagem para a Maratona de Amsterdã em 2015, patrocinada pela Mizuno.

Na categoria masculina, o segundo colocado foi Gabriel Picarelli e o terceiro, Cléber Vilares. Na feminina, a campeã do ano passado, Mirlece Picin, foi a segunda colocada, seguida por Daniela Santarosa. Eles receberam o Wave Sayonara Uphill, tênis feito para a prova com edição limitada.

Além da vitória, Dum quebrou o recorde do ano passado, que pertencia a Leonardo Maciel (3h31m11s). “Saí do Rio de Janeiro com uma estratégia bem traçada de não forçar no plano para poupar energia na subida. Apesar de até antes de começar a parte mais difícil eu estar próximo do Gabriel, que estava na frente, mantive o foco e um ritmo menos intenso, para atacar na serra. Foi assim que consegui ultrapassá-lo faltando sete quilômetros. Além da recompensa pela vitória, o visual dessa corrida é sensacional”, comemorou Tadao.

Mizuno Uphill Marathon3“A gente fica com o psicológico abalado sabendo que no final tem uma subida como essa. Sofri demais nos últimos 600 metros, cheguei cambaleando, mas estou muito feliz com o resultado. Consegui administrar bem a minha energia durante a prova”, vibrou Letícia.

Outra premiação da Mizuno aos competidores foi o Rei e Rainha da Serra, dada aos competidores que subiram mais rápido a serra. E os dois campeões da prova foram os melhores também nessa parte, levando um par de tênis para casa.

Como forma de adesão ao outubro rosa, campanha de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, as camisetas do kit da corrida eram cor-de-rosa.

No sábado (18), os atletas tiveram uma série de atrações no ginásio de Treviso, adaptado para a Expo. Os jornalistas Carol Barcellos e Clayton Conservani (que correu a prova) falaram sobre suas experiências em competições extremas e prenderam a atenção da plateia. Clayton esteve acompanhado de Bernardo Fonseca, organizador da Mizuno Uphill Marathon, pela X3M Sports, e vencedor de provas como os 60 km do Everest deste ano, entre outras.

Os atletas também puderam conhecer e testar o  F.O.R.M. (Form Optimizer of Running Methodology), metodologia pioneira de avaliação de postura, até então oferecida pela Mizuno apenas no Japão. A ferramenta realiza o diagnóstico a partir dos dados de biomecânica relacionados aos atributos: segurança, postura, relaxamento, trajetória e balanço; analisando também a relação entre a força de reação do solo e o movimento do centro de gravidade dos corredores.

Confira o resultado final da prova:
Masculino
1 – Roberto Tadao – 3h13m30s
2 – Gabriel Picarelli – 3h14m28s
3 – Cléber Vilares – 3h22m14s

Feminino
1 – Letícia Saltori – 3h46m29s
2 – Mirlene Picin – 3h56m20s
3 – Daniela Santarosa – 4h13m23s

Confira a galeria de fotos da maratona com o percurso mais desafiador do Brasil! [nggallery id=12 template=’galleryview’]

Daniela Künsch

(1534Publicações)

Daniela Künsch é jornalista desde 2002, editora chefe do jornal Folha Vitória e corredora amadora. Depois de chegar aos 133 quilos, perdeu 65, e encontrou na corrida força e inspiração para não voltar à obesidade.

Comentários

  1. […] primeira edição da maratona mais linda e desafiadora do Brasil foi em 2013. Em 2014, a prova foi dramática e entrou para a história das maratonas brasileiras como uma das mais difíceis e desejadas do […]