Guerra entre governadores do Nordeste e Bolsonaro não beneficia ninguém

Os nove reinos
Com o pires na mão para fecharem as suas contas, os governadores do Nordeste estão
sem ninguém – em especial os deputados federais – para defenderem os interesses de
seus Estados junto ao Governo federal. Todos os nove governadores da região que mais
precisa de repasses federais decidiram fazer oposição ao presidente Jair Bolsonaro. A
situação é complicada para os dois lados, porque Bolsonaro também precisa dos
numerosos votos das bancadas destes Estados para aprovar a Reforma da Previdência.
Nessa equação está hoje um dos maiores problemas do Palácio no plenário. Daí o
Governo articular apoio de partidos, não por bancadas.

Do trono
São eles: Paulo Câmara (PSB-PE), Belivaldo Chagas (PSC-SE), Renan Filho (MDB-
AL), João Azevedo (PSB-PB), Camilo Santana (PT-CE), Wellington Dias (PT-PI),
Flavio Dino (PCdoB-MA), Rui Costa (PT-BA) e Fátima Bezerra (PT-RN).

No ar
O senador Jorge Kajuru comemora o retorno da Rádio K, dia 1º de junho, em Goiânia,
após idas e vindas com processos na Justiça de alvos de suas críticas.

Centrão x Previdência
Em ampla maioria na Comissão Especial que analisa a Reforma da Previdência,
partidos do Centrão se preparam para, novamente, dificultar a tramitação do texto
enquanto o Governo não atender às demandas do grupo composto por partidos como
PP, PR, PSD, MDB, PRB, DEM e Solidariedade.

Falta agenda
Apesar de ter emplacado o presidente do colegiado, Marcelo Ramos (PR-AM),
deputados reclamam que o presidente Bolsonaro não os chamou para conversas como
prometera após a aprovação da reforma na Comissão de Constituição e Justiça.

Faca no pescoço
O grupo político alerta, pelos corredores, que a reforma de Bolsonaro poderá sair da
Comissão mais “desidratada” que a do ex-presidente Michel Temer.

Pente-fino…
O pente-fino nos benefícios do INSS, autorizado pela Medida Provisória 871/19, poderá
aumentar as ações judiciais de segurados para anular o corte de benefícios e pensões. De
acordo com o diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, Diego Cherulli, a
MP vai ampliar a judicialização, a exemplo do que ocorreu durante o Governo Temer.

…ações à mesa
“O pente-fino cessou, durante o Governo Temer, 80% dos benefícios na primeira fase.
Desses cessados, a maioria foi para o Judiciário”. A MP foi editada pelo Governo
Bolsonaro em Janeiro para coibir fraudes no INSS e economizar cerca R$ 10 bilhões
nos primeiros 12 meses de vigência.

Crise da Avianca
O Sindicato Nacional dos Aeronautas reforçou o plano de crise para atender os
tripulantes da Avianca. Além de lançar um portal exclusivo para os associados, a
entidade ampliou o atendimento para oferecer orientações sobre a situação da
companhia e ações judiciais coletivas e individuais.

Agrotóxicos
Presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, Rodrigo Agostinho (PSB-SP)
protocolou requerimento de informações ao Ministério da Saúde sobre as recentes
liberações de pesticidas e herbicidas no País. Questiona “os métodos adotados pela
Agência Nacional de Vigilância Sanitária ao analisar novos registros de substâncias
tóxicas que já foram banidas em outros países – e suas possíveis sequelas”.

Desdém ao alerta
O deputado cita que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 80% dos casos de
câncer são atribuídos à exposição a agentes químicos e lembra que, em audiência
pública na Câmara, a ministra da Agricultura Tereza Cristina admitiu que os produtores
rurais ainda fazem uso de produtos.

Técnica
A Anvisa não respondeu até o fechamento da Coluna. A Agência, é notório aos
visitantes, preza pela transparência na comunicação com empresas interessadas em
aprovação de produtos sob a sua fiscalização. É no chamado Parlatório, onde as
reuniões são gravadas e argumentos técnicos expostos e posteriormente analisados.

ESPLANADEIRA
Carlos Alberto Serpa apresenta para diretores e professores, amanhã, no Teatro
Cesgranrio, o espetáculo ‘Mistureba, as cores do mundo’, de Leandro Bellini, que será
levado às escolas públicas em projeto itinerante.

(668Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *