Curiosidades Olímpicas: lenda da ginástica completa 41 anos e se prepara para sua sétima olimpíada

O cavaleiro canadense Ian Millar é o atleta que mais participou de edições de Jogos Olímpicos: 10 no total. É um número bastante expressivo sim, mas a modalidade ajuda: o hipismo possui atletas de idades mais avançadas em competições de alto rendimento.

Canadense é o recordista de participações
Canadense é o recordista de participações

Só que um nome já virou lenda dos Jogos e chama a atenção. É a ginasta do Uzbequistão, Oksana Aleksandrovna Chusovitina, que vai para a sua sétima Olimpíada, aos 41 anos de idade. A surpresa é grande pois as maiores ginastas da história se aposentaram antes dos 30 anos,  o que é comum para a modalidade.

hqdefault

Oksana nasceu em Bukhara, no Uzbequistão, em 19 de junho de 1975. Chegou a competir pela Ex União Soviética até 1992; de 1993 a 2006, disputou pelo seu país de origem; em 2006, naturalizou-se alemã, onde competiu até o fim de 2012; e, em 2013, voltou a representar o Uzbequistão. Possui duas medalhas olímpicas: ouro por equipes em Barcelona e prata no salto em Pequim 2008.

Prata em Pequim 2008,
Prata em Pequim 2008,

Superação e amor

A ginasta chegou a parar: aos 22 optou pela aposentadoria para se dedicar ao casamento e construir uma família. Quando seu filho completou dois anos de idade, recebeu o diagnóstico de leucemia. E por amor ao filho e a luta para salvá-lo, Chusovitina viu como única solução, retornar para o esporte. Seu ato conquistou o mundo e muita gente ajudou. A ginasta voltou aos duros treinos para poder custear o caro tratamento do filho.

Oksana  está às vésperas de sua 7ª Olimpíada
Oksana está às vésperas de sua 7ª Olimpíada

“Sou muito grata à ginástica. Quando soube da doença de meu filho, todos no esporte, dos mais diferentes cantos do mundo, me procuraram. Criaram um fundo para me ajudar a pagar o tratamento – diz Oksana. – Ao decidir seguir na ginástica, e competir em alto nível, eu arrumei uma forma de agradecer a todos que me ajudaram naqueles dias ruins.”

Um exemplo não somente como mãe, mas a atleta é vista como uma guerreira por suas adversárias que simplesmente a admiram e a aplaudem.

E o filho dela? Hoje está totalmente curado.

E Oksana parece não ter limites…ela quer ir mais longe. E ela pode!


 

Viu algo interessante no mundo do esporte?  Envie sugestão para:

[email protected]

Facebook_icon.svgfoto-instagram-esboco-do-logotipo-da-camera_318-56004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *