• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Aguirre diz que São Paulo não precisa de individualidades e mostrou identidade

  • COMPARTILHE
Esportes

Aguirre diz que São Paulo não precisa de individualidades e mostrou identidade

O São Paulo não precisa de individualidades e mostrou uma identidade na vitória sobre o Ceará por 1 a 0, neste domingo, no estádio do Morumbi, na capital paulista. Esta foi a principal conclusão do técnico Diego Aguirre sobre o triunfo que mantém o time na liderança após a 21.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O uruguaio apoia a sua análise na ausência do volante Hudson, capitão que se recupera de dores no joelho e que foi substituído por Luan, revelação de 19 anos da base do clube.

"Poderíamos perder o Hudson mais para a frente. Se fosse o último jogo do campeonato, talvez jogasse. Mas o mais importante é que o São Paulo mostra uma identidade em campo. Não precisamos de individualidades", afirmou Aguirre em entrevista coletiva após a vitória. "Acho que foi um bom jogo. Gostei do São Paulo. Acho que merecíamos algo mais. No primeiro tempo, perdemos algumas situações. Ninguém pode duvidar que foi merecido, e que se alguém tinha que ganhar, era o São Paulo", completou.

O São Paulo terá de provar a força do seu elenco também na próxima partida. Diante do Fluminense, no próximo domingo, no Morumbi, terá três titulares suspensos: Jucilei, Nenê e Everton - além da suspensão, ele saiu de campo sentindo dores na coxa esquerda.

"O Everton, para mim, é um dos jogadores mais importantes que temos, de mais nível. É um jogadoraço. É difícil ter alguém desse nível. Não tem. Mas são coisas que acontecem, e temos que buscar alternativas. Não é o momento de pensar em Everton. Buscaremos as soluções. É o único jogador machucado que temos. Vamos esperar, torcer que não seja muita coisa, e que ele rapidamente possa voltar", completou o treinador.

O treinador destacou o apoio da torcida na vitória diante do Ceará. Dono da segunda maior média de público do Brasileirão com 33 mil torcedores por jogo (o líder é o Flamengo), o São Paulo levou 57 mil pagantes ao Morumbi, número inferior ao recorde de pouco mais de 59 mil do clássico carioca entre Flamengo e Fluminense, em junho.

"A torcida foi espetacular. Parte da vitória foi deles. Sentimos o apoio, o calor, todos juntos. O São Paulo tem identidade, a torcida vê, vocês veem, e fico feliz, porque foi uma das primeiras coisas que falei quando assinei o contrato, que queria que o São Paulo se identificasse com todos", finalizou Aguirre.