• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Zaga do São Paulo se mantém em alta mesmo com rodízio de Aguirre

  • COMPARTILHE
Esportes

Zaga do São Paulo se mantém em alta mesmo com rodízio de Aguirre

O desempenho da retaguarda do líder da tabela não cai. Atualmente, o time é dono da quinta melhor defesa da competição, com 17 gols sofridos

Falar em dupla de zaga titular do São Paulo no Campeonato Brasileiro é tarefa complicada. Com o rodízio promovido pelo técnico Diego Aguirre no setor, seis formações diferentes já começaram os jogos ao longo de 21 rodadas. E, apesar da rotatividade, o desempenho da retaguarda do líder da tabela não cai. Atualmente, o time é dono da quinta melhor defesa da competição, com 17 gols sofridos.

Três peças, principalmente, vêm se revezando nas escalações iniciais: Arboleda, Anderson Martins e Bruno Alves. Rodrigo Caio, que passou boa parte do primeiro turno machucado e só recentemente voltou a ser relacionado, foi titular nas duas primeiras partidas.

Até aqui, quem mais começou no time titular foi o equatoriano Arboleda. Ele esteve no 11 inicial de Aguirre em 15 ocasiões. Anderson Martins e Bruno Alves aparecem em seguida, com 13 aparições.

"Desde que chegou, ele (Aguirre) falou que não haveria 11 titulares, e sim, um elenco qualificado. Ele aposta em todo mundo e quem entra dá conta do recado. Ele faz um rodízio. Às vezes, a gente vem de uma sequência de jogos, então ele muda para o time não perder rendimento. Vem dando certo", destacou Bruno Alves, em entrevista para a Rádio Globo, na última segunda-feira.

Para se ter uma ideia de que o rodízio não é da boca para fora, as três parcerias possíveis entre esses jogadores apresentam números de participações muito próximos: Anderson Martins e Arboleda (7 vezes); Bruno Alves e Arboleda (6); Bruno Alves e Anderson Martins (5); Rodrigo Caio e Bruno Alves (1); Rodrigo Caio e Arboleda (1).

Em uma ocasião, o uruguaio montou o São Paulo num esquema com três zagueiros, no caso, Anderson Martins, Arboleda e Bruno Alves. "A gente entendeu o trabalho. Só sabe da escalação no dia do jogo. Ele tem confiança no time inteiro. A gente ali da zaga não tem vaidade, pelo contrário, é uma amizade sincera e isso reflete dentro de campo", garantiu Bruno Alves.

SEM OFERTA POR ARBOLEDA - Na última semana, começaram a surgir rumores de que o equatoriano estaria na mira do Espanyol. Aos 26 anos, o zagueiro só jogou no Brasil desde que deixou seu país natal, em 2017, justamente rumo ao Morumbi. Pelo São Paulo, acumula 52 partidas disputadas e quatro gols. Com a lesão de Rodrigo Caio ainda antes da Copa do Mundo, assumiu a função de principal figura da zaga tricolor.

Procurados pela reportagem, tanto o coordenador de futebol do clube, Ricardo Rocha, quanto a assessoria de imprensa do time negaram a existência de qualquer proposta pelo jogador. Lembrando que a janela para a Europa se fecha nesta sexta-feira.

Um dia antes, o técnico da seleção equatoriana, Hernán Darío Gómez, vai anunciar a lista de convocados para os amistosos contra Jamaica e Guatemala, dias 7 e 11 de setembro, respectivamente, nos Estados Unidos.

Espera-se que Arboleda esteja presente na relação, o que poderá tirá-lo de ao menos duas partidas do Brasileirão: Atlético-MG (5) e Bahia (8). Ele retornaria a tempo de encarar o Santos, dia 16, na Vila Belmiro.