• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Serena acusa árbitro de sexismo por punições impostas na final do US Open

  • COMPARTILHE
Esportes

Serena acusa árbitro de sexismo por punições impostas na final do US Open

Derrotada na decisão do US Open pela japonesa Naomi Osaka, Serena Williams não diminuiu o tom das suas críticas ao árbitro Carlos Ramos depois da conclusão da partida. Os ataques da estrela norte-americana ao juiz marcaram a final deste sábado, com a ex-número 1 do mundo sendo punida até mesmo com a perda de um game durante o jogo. E após a final, em entrevista coletiva, ela acusou Ramos de atitude sexista.

"Você não pode voltar no tempo. Eu não posso sentar aqui e dizer que não o chamei de ladrão porque ele tirou um game de mim por isso. Mas eu tenho visto outros homens chamarem os árbitros de muitas coisas. Estou aqui para lutar pelos direitos das mulheres e por igualdade", afirmou Serena.

A confusão entre Serena e o árbitro começou no início do segundo set, após a norte-americana receber sua primeira advertência no jogo por supostamente ter recebido instruções de Patrick Mouratoglou, seu técnico, o que é proibido. Ela negou veemente e bateu boca com o juiz em quadra e chegou a declarar que o árbitro deveria se desculpar com ela.

Depois, frustrada com a perda de um game de serviço perante Osaka, quebrou a raquete, o que lhe rendeu nova advertência. Descontrolada, Serena voltou a criticar juiz, chegando que ele a havia "roubado". Isso a levou a receber nova punição, com a perda de um game completo.

Para Serena, o árbitro só lhe aplicou essa dura punição por ela ser mulher. E se lembrou que durante a atual edição do US Open, a francesa Alize Cornet chegou a ser advertida por retirar sua camisa, a qual havia vestido do lado errado.

"Para mim, dizer que ele é ladrão e ele me tirar um game, me parece que é uma atitude sexista. Ele nunca tirou um game de um homem que o chamou de ladrão. Isso 'explodiu' minha cabeça. Continuarei lutando por igualdade", comentou

Serena terá o incidente investigado pela WTA. E Mouratoglou declarou que orientou a norte-americana, mas destacou que todos os técnicos fazem isso e que os árbitros nunca punem tenistas por isso.

Esta, porém, não foi a primeira vez que Serena se envolveu em polêmica com a arbitragem durante o US Open. Em 2009, durante as semifinais, ela protestou contra um juiz de linha, afirmando que iria "matá-lo" por marcar uma infração dela, quando sacava. A declaração, com um evidente tom de força de expressão, provocou advertência que culminou na sua eliminação do evento.