• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

WhatsApp paga anúncio em jornais do Brasil com passo a passo contra notícias falsas

  • COMPARTILHE
Geral

WhatsApp paga anúncio em jornais do Brasil com passo a passo contra notícias falsas

É a primeira vez que Mobile Time tem conhecimento de uma campanha de mídia realizada pelo WhatsApp no Brasil

O WhatsApp lançou uma campanha para orientar os usuários no combate à distribuição de notícias falsas no Brasil. Na edição da última segunda-feira (27), do jornal 'O Globo', o WhatsApp assinou uma página com dicas sobre o assunto.

“Procure sinais que te ajudem a julgar se uma informação é falsa. Por exemplo, mensagens encaminhadas de fonte desconhecida, falta de evidências ou mensagens cujo único propósito é o de irritar e incitar a violência. Estes são sinais claros de que uma história pode não ser verdadeira. E lembre-se: fotos, vídeos e até áudios podem ser manipulados para tentar te enganar”, diz o anúncio. 

Em seguida, recomenda que o usuário realize buscas online para verificar a veracidade de um conteúdo. E, caso constatado que se trata de uma notícia falsa, aconselha que o remetente da informação seja avisado, para que o compartilhamento seja suspenso.

Análise

A preocupação com a distribuição de notícias falsas tem fundamento. O WhatsApp é o app de mensagens mais popular do Brasil, instalado em mais de 95% dos smartphones brasileiros, de acordo com a mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre mensageria móvel. Isso o torna o canal preferido para quem quer espalhar mentiras, o que pode ser especialmente danoso para a democracia neste período eleitoral.

Esta não é a única iniciativa do WhatsApp no combate à distribuição de notícias falsas. Recentemente, o aplicativo passou a marcar as mensagens encaminhadas e também limitou a quantidade de grupos para os quais uma mensagem pode ser enviada simultaneamente.

O engajamento do WhatsApp serve também como uma forma de proteção contra eventuais ações judiciais que venham a pedir o seu bloqueio, agora com base na legislação eleitoral. Nos últimos anos, o app foi bloqueado algumas vezes por ordem da Justiça em ações na primeira instância, mas por razão da dificuldade de acesso ao conteúdo de mensagens trocadas por criminosos.

Vale lembrar que o WhatsApp enfrentou problemas sérios na Índia, seu maior mercado, onde várias pessoas foram linchadas na rua este ano confundidas com sequestradores de crianças depois de notícias falsas se espalharem através do aplicativo. O assunto virou matéria no New York Times há poucas semanas.

E houve um caso recente no Rio de Janeiro: um vídeo do governador Luiz Fernando Pezão pegando carona em um carro com três jovens, no interior do estado, viralizou via WhatsApp com a informação de que seriam milicianos. O jornal O Globo conseguiu identificar e entrevistar as pessoas que aparecem no vídeo e constatou que não são milicianos, mas trabalhadores comuns. Difícil medir, contudo, a extensão do dano causado à imagem de Pezão.

Com informações de Fernando Paiva, do Mobile Time!