• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Idoso de 99 anos anda 10 km por dia para ver esposa hospitalizada

  • COMPARTILHE
Geral

Idoso de 99 anos anda 10 km por dia para ver esposa hospitalizada

Após 55 anos de casamento, Luther Younger continua apaixonado pela esposa, definida por ele como "a mais doce xícara de chá que já tomou"

David Plassa, do R7

Um idoso de 99 anos andava cerca de 10 km por dia para visitar a esposa hospitalizada, em Rochester, no estado de Nova York. Após 55 anos de casamento, Luther Younger tem restaurado a fé no amor entres as pessoas que conhecem essa jornada.

Em reportagem do canal CBS News, ele contou ter conhecido Waverlee em uma lavanderia. Luther já tinha outros filhos de um relacionamento anterior, os quais a esposa ajudou a criar. Do relacionamento entre eles nasceu uma única filha, Lutheta.

Há nove anos, Waverlee foi diagnosticada com um tumor cerebral. Nesse período de entradas e saídas do hospital, Luther nunca deixou de estar do lado dela, mesmo que tivesse de dormir no chão. Waverlee contraiu pneumonia e precisou ser internada: "Tenho uma esposa. Não quero esperar no ônibus", justificou à repórter, que o acompanhou na caminhada. 

Durante o trajeto, diversos moradores reconhecem Luther e oferecem carona, mas ele recusou. O senhor de 99 anos acredita que andar ajuda a manter a mente limpa e explica que sempre teve trabalhos pesados durante a vida.

Além disso, Luther é ex-fuzileiro naval e combateu na Guerra da Coreia, no início da década de 1950. Ele chegou a fazer algumas flexões diante da câmera para demonstrar o vigor físico. "As pessoas me dizem para agir de acordo com a minha idade", contou. "Eles estão com ciúmes porque não bebo, não fumo, porque não é bom. Não estaria aqui (se fizesse)".

No entanto, a maior prova de força de Luther está mesmo no campo do amor. Para ele, Waverlee é "a mais doce xícara de chá que já tomou".

Ele reconhece que a esposa o tratou de uma maneira especial: "É por isso que a amo, porque ela é durona. Ela não é fraca... Esse é o tipo de mulher que quero".

Luther lembrou que Waverlee não era fácil: se ele não trabalhasse, rua: "Se não fosse por minha esposa, não teria conseguido", reconheceu.

Assim que avistou o prédio do hospital, o senhor de 99 anos começou a correr: "Vamos, temos que chegar lá", gritou para a repórter.

Ao chegar nas instalações, cumprimentava todos os funcionários, mas sem parar nem por um segundo. Ao chegar no quarto da esposa, fez questão de beijá-la, cheio de orgulho: "Essa é a minha xícara de chá, e ela é doce também".

A filha, Lutheta, conta que tenta encontrar carona para o pai sempre que possível. Especialmente em dias quentes. Mas, Luther é inflexível quanto a isso: "Meu pai diz que isso o mantém vivo", contou Lutheta. 

No final, o marido leal deixou a esposa descansar e voltou para casa como mais gosta: cheio de disposição e amor!