• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Dupla é presa suspeita de matar homem que usava biquíni na Serra

Polícia

Dupla é presa suspeita de matar homem que usava biquíni na Serra

O delegado disse não ter dúvida de que o homem foi morto por homofobia

Cláudio (esquerda) e Agton (direita) foram presos / Foto: Reprodução TV Vitória

Cláudio Ladislau da Silva Filho, conhecido como Cacau, de 19 Anos, e Agton dos Santos Pereira, de 34 anos, foram presos. Eles são suspeitos de assassinar um homem de 51 anos no Bairro das Laranjeiras, na Serra. A vítima estava de carro e usando apenas biquíni quando foi morta.

“Em depoimento, um nega que tenha praticado o crime e o outro diz que só emprestou o veículo para o atirador, que é um dos presos por ter praticado o crime. As investigações comprovaram que no dia do crime os dois se encontravam próximo a um bar, que é um ponto de tráfico do local. Quando a vítima chegou, desceu do carro vestida de biquíni, entrou para comprar uma cerveja, eles decidiram matar a vítima naquele momento. Seguiram a vítima, fecharam o veículo e o Cláudio desceu e efetuou quatro disparos de forma covarde na cabeça da vítima”, disse o delegado Rodrigo Sandi Mori.

O delegado disse não ter dúvida de que o homem foi morto por homofobia. “Foram entrevistados vários comerciantes da região, moradores da região, que alegam que embora ele andasse vestido daquela maneira, ele nunca desrespeitou ninguém no bairro, não mexeu com crianças e nem se relacionou com ninguém. Tudo leva a entender, no final das investigações, que a motivação está ligada a questões homofóbicas e principalmente pela intolerância”, afirmou o delegado.

O Sandi Mori acrescentou que cacau e agton são suspeitos de envolvimento em outros crimes. “Os suspeitos são investigados por outros homicídios e estão com mandado de prisão por esse homicídio. Durante as investigações ficou comprovado que eles têm envolvimento com o tráfico de drogas na região de Jacaraípe”.