• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homem é preso suspeito de esfaquear a ex-mulher grávida de 6 meses em Guarapari

  • COMPARTILHE
Polícia

Homem é preso suspeito de esfaquear a ex-mulher grávida de 6 meses em Guarapari

Segundo a polícia, as agressões ocorreram em junho de 2016. Contudo, a prisão do rapaz ocorreu apenas na última quarta-feira (29)

 As investigações apontam que a vítima foi atacada com uma faca pelo ex-marido no meio da rua

Um homem foi preso suspeito de esfaquear a ex-companheira grávida de 6 meses, no município de Guarapari. Segundo a polícia, as agressões ocorreram em junho de 2016. Contudo, a prisão do rapaz ocorreu apenas na última quarta-feira (29), na casa da mãe dele.

O casal morava no município com dois filhos. As investigações apontam que a vítima foi atacada com uma faca pelo ex-marido no meio da rua. Na época, a mulher chegou a ficar 18 dias internada em estado grave. Depois de se recuperar e deixar o hospital, ela passou a viver com medo.

"Foi uma discussão referente a bens da casa, alimentos... Ela queria que ele fosse adquirir, ele passou a agredi-la e, em determinado momento, utilizando uma arma branca, uma faca, e ele passou a esfaqueá-la. Ele a feriu em diversas partes do corpo e um dos golpes atingiu a barriga e ela perdeu a criança", revela a delegada Ana Karolina Marques.

Segundo a polícia, a mulher confirma absolutamente todos os fatos. "Ela relatou as agressões, com riqueza de detalhes, o que, inclusive, nos demonstrou que a prisão tinha elementos para ser solicitada. Ela narra que ele possuía esse histórico de agressão sempre quando fazia uso de bebida alcoólica. Ela chegou a receber diversas transfusões de sangue em razão da gravidade das agressões que ela sofreu", comenta Ana.

"Até o momento a gente não tinha elementos suficientes para solicitar o mandado dele, até porque a vítima não se encontrava mais no Estado e estava sendo impossibilitada a oitiva dela e de testemunhas. Quando finalmente conseguimos ouvi-la e vimos o laudo do DML confirmando a perda do neném, solicitamos o mandado de prisão temporária à Justiça, que saiu na sexta-feira passada", esclarece a delegada.