• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Justiça mantém prisão de empresário acusado de aplicar golpes em Jardim Camburi

Polícia

Justiça mantém prisão de empresário acusado de aplicar golpes em Jardim Camburi

As denúncias, feitas por 11 vítimas, começaram a chegar à delegacia em maio de 2018

Justiça decide manter a prisão do empresário acusado de aplicar golpes em clientes de oficina mecânica. O caso foi noticiado na TV Vitória no início de agosto. 

A decisão que manteve a prisão de Ayres Francisco dos Santos preso foi dada pela a juíza da 4ª Vara Criminal de Vitória, Gisele Souza de Oliveira. Ele é acusado de aplicar golpes em clientes da oficina mecânica em que é dono, uma das maiores do bairro Jardim Camburi, em Vitória

O empresário está preso desde o dia 06 de agosto. De acordo com a decisão e conforme o parecer do Ministério Público Estadual, não houve nenhum fato novo que justificasse a revisão do decreto de prisão de Ayres denunciado pela suposta prática do crime de estelionato contra diversas vítimas. Além disso, a juíza destacou que a prisão preventiva foi decretada pelo fato de que o suspeito tinha o intuito de influenciar o depoimento das supostas vítimas, havendo, inclusive relatos de ameaça a uma delas. 

A magistrada também determinou que a delegada responsável pelo caso, Rayanna Bremenkamp se manifeste quanto à devolução dos veículos que estavam sob guarda e depósito do réu às supostas vítimas ou da remoção deles ao pátio da delegacia de defraudações e falsificações. A audiência de instrução foi marcada para o dia 07 de novembro de 2018, quando será reavaliada a situação prisional do acusado. 

Nota encaminhada na época

O advogado de Ayres Francisco dos Santos informou que só vai se manifestar na justiça. Já o Detran informou que caso necessário, vai colaborar com a polícia.

Na manhã desta quarta-feira (12) a equipe da TV Vitória entrou em contato com a defesa do acusado para saber sobre a decisão, mas o advogado não atendeu as ligações. A reportagem também tentou contato com a delegada responsável pelo caso, Rayanna Bremenkamp e ela informou que ainda não foi informada sobre a decisão da magistrada.