• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Em debate, Paes é novamente ligado a Cabral por oponentes

  • COMPARTILHE
Política

Em debate, Paes é novamente ligado a Cabral por oponentes

No segundo debate entre candidatos ao governo do Estado do Rio, realizado nesta terça-feira, 28, o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) foi novamente ligado pelos oponentes ao ex-governador Sergio Cabral (MDB), preso sob a acusação de liderar uma organização criminosa que extorquiu o Estado.

O candidato Indio da Costa (PSD) lhe fez acusações e criticou o tamanho de sua coligação - composto pelo DEM, MDB, PPS, PTB, PHS, PV, PMN, PP, DC, PSDB, Solidariedade e Avante.

"Para quem governar ou com quem governar? Sua aliança é a maior de todas. Sendo que a mesma coligação elegeu Cabral duas vezes, você duas vezes e Pezão uma vez, e deu no que deu", disse Indio, afirmando ainda: "em 26 anos de carreira política nunca roubei e deixei roubar." O candidato disse também que "todo dia tem novidade" em relação a investigações de aliados de Paes pela Lava Jato.

Paes respondeu: "Eu respondo pela maneira como governei por oito anos no Rio. Vamos conduzir o governo do Estado com a mesma correção e esforço. Não podemos demonizar a política." Segundo ele, as alianças não o impediram de ter quadros técnicos na gestão municipal.

Anthony Garotinho (PRP), ao responder a uma provocação de Indio sobre sua prisão, por crime eleitoral, afirmou: "A população sabe que minha prisão não tem nada a ver com Lava Jato, é um processo eleitoral. Lava jato é da turma do Eduardo Paes e do MDB."

Também participou do debate o candidato Tarcísio Motta (PSOL). Romário (Podemos), também convidado, não compareceu. A assessoria de imprensa da campanha informou estar em agenda por oito cidades do interior do Estado. Segundo O Globo, o candidato "não aceitou o convite". Sua cadeira foi mantida vazia.

Divulgada no último dia 20, a primeira pesquisa do Ibope para o governo do Rio mostrou empate técnico entre Romário, que tem 14% das intenções de voto, Eduardo Paes (DEM), ex-prefeito da capital, com 12%, e Anthony Garotinho (PRP), ex-governador do Rio, também com 12%. A margem de erro é de três pontos percentuais, e o levantamento tem 95% de nível de confiança.

Tarcísio tem 5% das intenções de voto, Indio, 3%, Marcia Tiburi (PT), 2%, e Pedro Fernandes (PDT), também 2%. Wilson Witzel (PSC), André Monteiro (PRTB), Marcelo Trindade (NOVO) e Daisy Oliveira (PSTU) estão todos com 1%. Luiz Eugênio (PCO) não foi citado pelos entrevistados. Brancos e nulos somam 35% e 11% dos entrevistados disseram não saber em quem vão votar.

Os índices de rejeição também foram divulgados. Garotinho lidera, com 55%, seguido de Paes (38%), Romário (23%), Indio (18%) e Tarcísio (12%).

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 e 20 deste mês - depois, portanto, do debate da Band, o primeiro da campanha. Foram ouvidas 1.204 pessoas no levantamento. Sondagens anteriores colocavam Romário à frente, seguido de Paes e Garotinho, mas sem empate triplo. A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), sob os números BR-00596/2018 e RJ-03249/2018.