• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Dermatologista faz alerta sobre o uso de maquiagem e esmaltes por crianças

  • COMPARTILHE
Saúde

Dermatologista faz alerta sobre o uso de maquiagem e esmaltes por crianças

Produtos podem gerar dermatite de contato e provocar alergias na pele da criança

Os produtos utilizam devem ser removidos com água, evitando a entoxicação da pele. 

O caráter lúdico de “se pintar”, desde que os produtos sejam inofensivos a pele das crianças, pode render uma saudável brincadeira. Hoje é possível encontrar no mercado diferentes produtos voltados para o público infantil e que podem fazer parte da dinâmica de brincadeiras. Tudo é uma questão de equilíbrio.

Vale atenção na hora de escolher o que deixar ao alcance da criançada. As maquiagens para adultos, e mesmo as feitas para bonecas, não podem ser utilizadas, já que contêm corantes, fixadores e outras substâncias químicas que podem causar reações alérgicas.

“Uma dica é procurar sempre pelo selo de aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ele garante que se tratam de produtos fáceis de serem retirados com água. Além disso, é importante que as composições se restrinjam a ingredientes atóxicos e hipoalergênicos. Já os rótulos devem possuir indicações de segurança específicas, incluindo a de faixa etária”, alerta a Dra. Luciana Maluf, dermatologista e consultora de beleza.

Esse cuidado contempla batons, blush, gloss, brilhinhos e até esmaltes. Eles devem sempre ser feitos à base de água para evitar a necessidade do uso de acetona ou removedor. Máscaras e lápis, mesmo vendidos como “próprios para crianças”, devem ser evitados. E uma dica: não tire a cutícula das crianças, essa “pelezinha” protege a unha de bactérias e fungos, fixando melhor a unha na pele.

Dermatite de contato

Inflamação decorrente do contato da pele com uma determinada substância, a dermatite de contato é comum em qualquer faixa etária, inclusive nas crianças. Há estudos que demonstram a importância clínica do problema nos pequenos, embora eles não fiquem tão expostos quanto os adultos às substâncias alergênicas ou irritantes, que causam reações na superfície da pele.

“No consultório, as formas mais comuns do problema acontecem no contato com borracha e látex; perfumes, sabonetes e cosméticos; couro; lãs e tecidos sintéticos, bijuterias (especialmente as feitas de níquel, cromo e cobalto) e até peças de ouro e prata. Alguns cremes e pomadas com medicamentos (antibióticos) também podem provocar a dermatite”, esclarece  Luciana. 

Sintomas

Os sintomas da dermatite de contato geralmente são vermelhidão, coceira intensa e ardor. A pele irritada pode produzir pequenas bolhas e apresentar rachaduras. A lesão geralmente fica restrita a área da pele que entrou em contato com a substância irritante. A grande maioria dos casos desaparece em alguns dias, desde que seja evitado o contato com o causador da irritação na pele. Loções de uso tópico a base de calamina podem aliviar os sintomas. Em caso de reação mais intensa, é fundamental uma avaliação clínica dermatológica, com tratamento mais específico.