Como lidar com cachorros que têm medo de fogos?

Todo fim de ano é aquele problema nas casas com pets: a hora dos fogos de artifício. Muitos tutores começam a sofrer com antecedência, já que para vários cães a virada do ano se torna um momento cheio de estresse e medo por conta dos altos sons dos fogos. O motivo é simples: os cachorros têm a audição extremamente desenvolvida, sendo capazes de ouvir sons a uma distância quatro vezes maior que o limite dos humanos. Como não estão acostumados no cotidiano com barulhos tão intensos por tanto tempo, é comum que os animais os associem de alguma forma com o perigo e, por isso, reajam com muito medo, que pode se manifestar de diferentes formas.

Mas que eles tendem a não gostar nem um pouco desse momento, todo tutor já sabe. Como fazer para amenizar de alguma forma o problema dentro de casa? Veja algumas dicas que vale a pena tentar.

Preparação será a chave

Uma das medidas mais eficazes para evitar o problema é preparar o pet para o momento dos fogos com antecedência. Há algumas formas de fazer isso. Muitos profissionais indicam que pode ser interessante gerar um reforço positivo associado ao som desde cedo, colocando por exemplo o som dos fogos para tocar em casa e associando-o a brincadeiras, comemorações e distrações para o bichinho.

Disfarce o momento

Na hora dos fogos, tentar amenizar o barulho também pode ser útil. O tutor pode colocar algodões no ouvido do bichinho (com cuidado para não machucar!), aumentar o volume da TV ou música ou ainda tentar uma técnica viralizada na internet de enrolar uma faixa ao redor do peito do pet, que pode acalmá-lo por estimular a circulação sanguínea. Essa estratégia, porém, também precisa de cuidados, primeiro para prender de forma confortável (sem apertar demais) e segundo porque é preciso ver anteriormente como o animal reage à tentativa – pode ser que ele fique tenso e estático ou mesmo que não sinta diferença.

cachorros fogo de artifício

Técnica da faixa pode ajudar a tranquilizar os pets. Imagem das redes sociais da PremierPet

Cuidado com os reforços

Uma das grandes dificuldades no adestramento dos animais de estimação é que o tutor normalmente incentiva sem perceber algumas reações negativas, quando dá um estímulo positivo em resposta. No momento de estresse do pet, é importante que o dono transmita tranquilidade e não acabe deixando o pet ansioso e desconfortável – pegar no colo forçadamente, por exemplo, pode deixá-lo mais nervoso. O ideal é agir como se nada estivesse acontecendo! Se ele opta por se esconder em algum lugar da casa durante os fogos, essa é a forma que se sente mais seguro, portanto deixe-o ali mesmo.

Além de todas essas dicas, lembre de deixar o pet identificado com coleira contendo telefone de contato, já que em alguns casos eles podem ficar desorientados ou correrem. Se o pet reage de forma muito exagerada ao estresse do momento, é válido procurar ajuda profissional de adestradores, que possuem técnicas eficazes para a amenização de medos nos animais. Sedar o animal exige ainda mais atenção! Somente tome essa atitude com orientação de um médico veterinário de confiança.

Na virada do ano, não deixe os bichinhos sozinhos! Se for curtir o réveillon fora de casa, procure com antecedência hotéis que estarão abertos, com equipe treinada para lidar com os bichinhos.

Equipe Petblog

(111Publicações)

Comentários (1)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *